Lance

Lance

Pedro pelo Fluminense
O Globo
O Fluminense perdeu ação judicial que proibiria piadas com o termo "Tapetense".

O Fluminense perdeu uma ação judicial para tentar evitar que o clube sofresse piadas com o termo " Tapetense ". O juiz Tom Alexandre Brandão, da 2ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, julgou ser improcedente o pedido do Tricolor. A informação foi dada inicialmente pela "ESPN" e confirmada pelo LANCE!.

Leia também: Fluminense não toma conhecimento do Cruzeiro e goleia por 4 a 1

A ação foi movida pelo clube carioca em março de 2017 contra o jornalista Paulo Cezar de Andrade Prado, do "Blog do Paulinho", que publicou pela primeira vez a junção de " tapetão " com " Fluminense ". O Flu alegou danos morais e pediu uma indenização de R$ 50 mil, além de que a postagem fosse apagada.

O juiz alegou que o termo foi utilizado de maneira legal. "A crítica feita pelo réu é absolutamente legítima", disse Brandão. A denominação "deve ser compreendida no contexto de exercício legítimo de crítica à organização do futebol nacional, que houve por bem permitir a ascensão do clube autor da Série C diretamente para a Série A ", seguiu.

O magistrado ainda destaca a grandeza do Fluminense, mas destaca que "essa história, para muitos torcedores e amantes do futebol, foi manchada pelo episódio referido na matéria, mais precisamente o acesso direto à Série A do Campeonato Brasileiro por um time que havia disputado (e vencido) a Série C no ano anterior". 

Nas redes sociais, os torcedores rivais brincaram com a situação na qual  o Fluminense se envolveu. Confira alguns Tweets abaixo:

Brandão defendeu o exercício da crítica e deu ainda um "conselho" ao clube: "Bem faria o clube autor se lutasse por regras mais transparentes e justas no futebol nacional, ao invés de insurgir-se contra quem critica as distorções no cenário esportivo". Os tricolores terão de arcar com as custas processuais. O Fluminense recorreu e aguarda nova decisão da Justiça.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários