Mustafá Contursi
Gazeta Press
O escritório do ex-presidente do Palmeiras Mustafá Contursi foi alvo de operação de busca e apreensão.

O escritório do ex-presidente do Palmeiras Mustafá Contursi foi alvo de uma Operação de Busca e Apreensão da Polícia nesta terça-feira. Os agentes da polícia recolheram computadores e atas para investigar um possível crime de falsidade ideológica praticado pelo Sindicato Nacional das Associações de Futebol Profissional e suas Entidades Estaduais e Ligas (Sindafebol), órgão presidido por Mustafá. 

Leia também: Maiores prejudicados, torcedores do Palmeiras apoiam o clube em rixa com a Globo

Em entrevista ao Estadão, o ex-presidente do Palmeiras disse acreditar que a investigação partiu de algum desafeto pessoal e que precisa tomar conhecimento se o caso tem ligação com o clube. "Eu acredito que seja uma mera questão política. Ainda preciso tomar conhecimento", afirmou  Mustafá .

Além disso, o ex-presidente afirmou estar tranquilo e disse ter se colocado à dispoisção para maiores esclarecimentos.  "Estou tomando conhecimento agora. Uma possível denúncia, não sei do quê. Entreguei um computador e umas quatro atas. Eu estou tranquilo para prestar outros esclarecimentos", afirmou.

O mandato de  busca e apreensão partiu das mãos da Juíza Alessandra Teixeira Miguel, do Foro Central Criminal da Barra Funda. A determinação atende a um pedido feito pelo Ituano, que afirma que, em 2011, a Sindafeol firmou um contrato sem licitação de R$ 6,2 milhões com o Ministério do Esporte que teria como intuito cadastrar torcidas organizadas. 

Leia também: Palmeiras comemora números de transmissão de segundo jogo sem TV

Com as buscas no escritório do ex-presidente do  Palmeiras , a Polícia espera conseguir confirmar qual é a atuação do órgão. Além disso, as autoridades querem comprovar se foram forjadas assinaturas de membros associados, já que as reuniões aconteciam com poucos membros. 

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários