Tamanho do texto

Meio-campista lembrou também que usou as estruturas de containers quando chegou ao clube carioca, em 2016

Diego chorou em determinado momento da entrevista sobre a tragédia no Flamnengo
Twitter/Cahê Mota/GloboEsporte.com
Diego chorou em determinado momento da entrevista sobre a tragédia no Flamnengo

O meio-campista Diego foi o jogador escolhido para dar a primeira entrevista coletiva no Flamengo após a tragédia no Ninho do Urubu, na sexta-feira passada, que matou 10 atletas da base do clube rubro-negro.

Leia também: Jovem de 14 anos ferido em incêndio no CT do Flamengo tem alta de hospital

Mesmo com o Fla-Flu decisivo da Taça Guanabara se aproximando - o jogo será na quinta-feira que vem, no Maracanã -, o assunto na entrevista de Diego foi, claro, o incêndio no alojamento dos garotos. 

"Venho aqui em respeito a todos vocês e a todas as pessoas envolvidas nessa situação. Serei o mais honesto e transparente possível, como sempre fui. Nosso relacionamento com esses garotos sempre foi excelente, nós acompanhamos tudo, eles fazem parte do dia a dia", disse o camisa 10.

"Lembro da maioria deles que já pediu para tirar foto comigo. Tenho um sobrinho que tem a oportunidade de jogar no sub-14 do Flamengo , então tinha amigos ali dentro do alojamento. Tinha até a possibilidade de ele estar ali também. Enfim, temos uma ligação e um respeito muito grande", continuou.

Diego também comentou que o Flamengo vem fazendo de tudo para que seja dado conforto e condição aos seus atletas. "É nítido e claro que é um clube que tem procurado evoluir constantemente e diariamente e tem demonstrado isso. E não só para os profissionais, como também para base", disse.

Leia também: Fla continuará pagando salários das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu

"Acompanhei essa evolução, cheguei em 2016, as estruturas também eram em containers . Eu utilizei toda essa estrutura e a partir dali vim acompanhando a evolução do clube. As questões técnicas e burocráticas não estou aqui para falar, mas é claro que existe essa preocupação de melhorar", comentou o atleta.

"O fato é que essa é a maior tragédia da história do Flamengo e quem está aqui vai carregar isso para sempre, está vivendo isso intensamente e sem dúvida é um momento de tristeza e reflexão", avaliou o meia.

Em um momento de grande emoção durante a entrevista, Diego não conseguiu conter o choro. O assunto foi o garoto Cauan Emanuel, um dos feridos no incêndio e que já recebeu alta hospitalar.

Cauan, o garoto citado por Diego na entrevista
reprodução/ twitter Flamengo
Cauan, o garoto citado por Diego na entrevista

Leia também: Somos tão insignificantes que jogamos enquanto choramos

"Vou completar 34 anos e estou vivendo esse sonho que eles queriam viver. Novos jovens virão. Visitamos os garotos, tiramos fotos com o Cauan, peguei o telefone dele e estávamos conversando", relartou.

"Ele me mandou uma foto comemorando gol e perguntou: 'Conhece essa comemoração? Eu me inspiro em você...' Temos que seguir. Seremos inspiração", completou Diego às lágrimas.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas