Tamanho do texto

Uma pessoa ligada à família Brittes revelou que Edison teria convidado Daniel a ter relações sexuais com sua mulher, Cristiana, no dia do crime

Morte do jogador Daniel: atleta tirou foto com Cris Brittes e mandou para amigo
Reprodução
Morte do jogador Daniel: atleta tirou foto com Cris Brittes e mandou para amigo

Nesta quinta-feira, a informação de que Edison Brittes , assassino confesso de Daniel, teria oferecido sua mulher, Cristiana Brittes,  para fazer sexo com o jogador caiu como uma bomba nas investigações da polícia paranaense.

Segundo reportagem do site "Massa News", uma testemunha muito próxima à Edison revelou o convite para Daniel ter relações sexuais com a esposa momentos antes da sua morte.

"Ele disse que estava muito louco, que convidou Daniel para dormir com a mulher dele. Ele sabia, a mulher também, foi um acordo. E depois que ele viu que realmente os dois estavam juntos na cama ele se revoltou e resolveu matá-lo", comentou o rapaz que não quis se identificar. 

Leia também: "Não quero morrer, socorro", disse jogador Daniel antes de ser assassinado

Ainda segundo essa pessoa, Edison Brittes teria confessado a um amigo que usou drogas antes do crime, como cocaína e ecstasy. "A família tem direito de saber que Daniel não tentou estuprar ninguém, ele realmente é inocente na história", finalizou o entrevistado.

Meia do São Paulo, Daniel foi encontrado morto em matagal do Paraná
Site oficial
Meia do São Paulo, Daniel foi encontrado morto em matagal do Paraná

Diante dessa informação, o advogado que representa Edison Brittes negou que tenha ocorrido sexo a três entre o empresário, a esposa dele e o atleta.

"Foi uma notícia lançada por um programa daqui do Paraná que pegou o conhecido do amigo de uma pessoa íntima do Edison. Essa é a qualificação. Não é testemunha de nada, porque testemunha vai à polícia e fala. É um ladrão da honra alheia que está conturbando a investigação. Isso não existiu", disse Cláudio Dalledone em entrevista ao programa "Cidade Alerta" da TV Record.

Dalledone disse ainda que pretende abrir um processo judicial paralelo e pedir a prisão preventiva das pessoas que estão passando esse tipo de informação que, segundo o magistrado, são "fake news". 

Leia também: Delegado do caso Daniel afirma que não houve tentativa de estupro

Além de Edison, Cristiana e Allana Brittes, filha do casal, também estão presas outras três pessoas sob suspeita de envolvimento no crime: Eduardo Henrique da Silva, primo de Cristiana, Ygor King e David Willian da Silva, todos envolvidos no espancamento de Daniel antes da morte.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.