Tamanho do texto

Clube paulista classifica a decisão como "claramente abusiva", e jogador sequer foi notificado. As partes têm cinco dias para fazer o depósito

Gustavo Scarpa em campo pelo Palmeiras
Divulgação
Gustavo Scarpa em campo pelo Palmeiras

O caso Gustavo Scarpa, Fluminense e Palmeiras parece ainda estar longe de um fim. Na última sexta-feira (03),  a decisão de uma juíza da Vara do Trabalho do Rio determinou o bloqueio de R$ 200 milhões das contas do jogador e do clube alviverde, após pedido do Flu.

Leia também: Palmeiras muda estatuto e Leila Pereira pode virar presidente em 2021

O despacho é uma medida preventiva que protege os cariocas, caso vençam a ação que corre no Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília. Ainda segundo a decisão, Palmeiras e Scarpa têm cinco dias para o pagamento do valor estipulado.

Por meio de nota, o Palmeiras informou que até o momento nem o clube e nem o jogador foram notificados da decisão.

Leia também: Jean perde pênalti e Palmeiras empata contra América-MG no retorno de Felipão

O clube alega ainda que qualquer ordem em relação ao Palmeiras é abusiva, pois o mesmo nunca exerceu ou discutiu qualquer ato de defesa no processo.

Confira a nota na íntegra

"O processo corre em segredo de justiça. A ordem judicial ainda não chegou ao conhecimento do Palmeiras, mas admira a ordem ter chegado ao conhecimento da imprensa antes de chegar ao conhecimento do próprio Scarpa. É preciso que fique claro que o Palmeiras não é parte nesse processo. O Palmeiras nunca se manifestou nem nunca chegou a discutir ou exercer qualquer ato de defesa nesse processo. Portanto, qualquer ordem em relação ao Palmeiras é claramente abusiva, excede completamente os limites processuais e não deve subsistir."

Resumo do caso Scarpa

Scarpa em campo contra o Fluminense
Reprodução / Palmeiras
Scarpa em campo contra o Fluminense

O jogador rescindiu seu contrato com os cariocas em dezembro de 2017 após entrar na justiça por uma dívida de R$ 9 milhões entre salário e direitos trabalhistas. 

Em janeiro, o Palmeiras se aproveitou da situação e contratou Scarpa, que estava livre no mercado. Porém em março o Fluminense conseguiu reverter a decisão da justiça, o que impediu o jogador de atuar pelo Verdão.

Leia também: Após ser preso, jogador entra em campo com tornozeleira eletrônica

Após três meses sem jogar profissionalmente, Gustavo Scarpa conseguiu sua liberação do Fluminense por meio de um habeas corpus concedido pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) e acertou seu retorno ao Palmeiras.

    Leia tudo sobre: Futebol