Tamanho do texto

Ex-jogador do time da base do clube da Baixada Santista, Ruan Petrick Aguiar de Carvalho denunciou o coordenador por abuso sexual em 2010

Santos pode viver tempo de crise após escândalo de abuso
Reprodução
Santos pode viver tempo de crise após escândalo de abuso

O Santos anunciou nesta última terça-feira (17) o afastamento do coordenador da base do clube, Ricardo Marco Crivelli. Mais conhecido como Lica, o dirigente é acusado de abuso sexual . O caso veio à tona após uma reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo .

Leia também: Neymar prevê retorno aos treinos em um mês, 31 dias antes da estreia na Copa

Na última sexta-feira (13), Ruan Petrick Aguiar de Carvalho, de 19 anos de idade, registrou um Boletim de Ocorrência para denunciar ter sido vítima de abuso sexual quando tinha 11 anos. Na ocasião, ele desejava fazer parte do time de base do Santos . No entanto, este ano, ao retornar ao clube para testes, descobriu que o dirigente ainda fazia parte da diretoria.

No Boletim de Ocorrência, Ruan diz ter sido vítima de Crivelli no mês de março de 2010 em uma noite na casa de seu empresário, antes mesmo de fazer parte do time do Santos. "Lica passou a aliciar a vítima e passar a mão em seu corpo, pegando em órgão genital e iniciou sexo oral", afirma o documento.

Leia também: Veja lista de craques que devem disputar sua última Copa do Mundo na Rússia

"Foi muito difícil para mim revelar tudo isso. Fiquei revoltado por muito tempo, usei maconha e cocaína, não parava em clube nenhum. Não é nada agradável contar essa história para os outros", disse o jovem à Folha de S. Paulo . "Ele mexeu nas minhas partes íntimas, fex sexo oral em mim e prometeu me trazer para o Santos. Poucos dias depois eu estava no Santos".

Aprovado no teste do clube, Ruan permaneceu na equipe de base por cerca de um ano e meio. No entanto, quando passou para o sub-13 do Santos, afirmou ter rejeitado propostas feitas por Lica e foi dispensado. Além disso, alegou ter recebido dinheiro extra além do salário do clube pago por Ricardo Crivelli e ainda citou o nome do presidente do Santos, José Carlos Peres.

"Recebia por fora do Lica e cheguei a receber uma vez do atual presidente", disse. "Não comentei com ninguém porque se eu falasse para o meu pai ele iria mandar eu voltar e eu não queria. Estou falando hoje porque não quero que isso aconteça com outras pessoas porque isso é muito comum no futebol ".

Leia também: Urso é usado para entregar bola em partida de futebol na Rússia e gera polêmica

Leia na íntegra a nota oficial emitida pelo Santos:

O Santos FC recebe com surpresa a acusação. O clube é reconhecido internacionalmente por seu consistente trabalho com a base, que sempre apresentou resultados bastante elevados, tanto esportivos quanto de cidadania.  O clube vai investigar criteriosamente a situação, considerando que o profissional em questão jamais teve qualquer mácula em sua extensa carreira no futebol, e que acusações como essa envolvem reputações, tanto dos acusadores, quanto do proprio acusado, que devem ser preservadas sem qualquer juizo previo de culpa.  Até por isso, Lica foi preventivamente afastado pelo Comitê de Gestão do Clube. Reiteramos, contudo, que a apuração será conduzida pelas autoridades competentes, se efetivamente consistentes. O presidente Peres afirma categoricamente que jamais ofereceu qualquer valor a quem ora o denuncia.

    Leia tudo sobre: futebol