Tamanho do texto

Grupo escreve carta ao presidente Maurício Galiotte propondo demissão de conselheiros que têm alguma ligação com a Federação Paulista de Futebol

Depois da polêmica de arbitragem que tomou conta das discussões e das declarações de ambos os times após a final do Campeonato Paulista , um grupo de dez conselheiros do Palmeiras escreveram uma carta destinada ao presidente Maurício Galiotte. O texto cobra por mudanças estruturais e de ideologia envolvendo o clube e a Federação Paulista de Futebol.

Leia também: Corinthians derrota o Palmeiras nos pênaltis e é campeão Paulista pela 29ª vez

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras
Twitter/Reprodução
Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras

A maior cobrança foi contra o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza. O juíz marcou pênalti de Ralf em Dudu, aos 26 minutos do segundo tempo. O gol poderia significar o empate e o título para o Palmeiras .

No entanto, após oito minutos de paralização, o árbitro conversou com seus auxiliares e decidiu rever a sua decisão e marcar apenas escanteio. O ato causou uma revolta geral dos jogadores, torcedores e da diretoria do clube. 

A carta dos conselheiros tem quatro pedidos: que todos os conselheiros que têm alguma ligação com a Federação paulista de Futebol peçam demissão do conselho doclube; que o clube dispute o Campeonato Paulista de 2019 apenas com atletas da base, com um time sub-23; que o clube passe a filmar as partidas, focando na arbitragem; e proibição dos árbitros da final em outras partidas da equipe.

Antonio Carlos de Carvalho, Antonio Carlos Blanes, Carlos Alberto Pereira, Diego Zupo, Felipe Giocondo, Jota Christianini, José Ezequiel, Paulo Estevão, Sylvio Mukai e Vicente Criscio foram os conselheros que assinaram o documento.

O presidente Galiotte reclamou muito da arbitragem em entrevista na zona mista após o apito final. Reclamando muito da arbitragem e chegou a falar que "o que aconteceu é uma vergonha, um exemplo muito ruim que o futebol brasileiro dá". Ele também afirmou que houve interferência externa na decisão de Marcelo Aparecido.

"Não ganhamos a partida, porém houve interferência externa. O que o Palmeiras acha disso tudo? Que é uma vergonha! O Palmeiras é muito maior do que o paulistinha. Nós vamos brigar por coisas grandes. Não vamos ficar preocupados com uma situação absolutamente vergonhosa", completou o presidente.

Leia também: Presidente do Palmeiras polemiza e Emerson Sheik responde: "É um doente mental"

Leia a carta na íntegra

Os conselheiros abaixo assinados vêm pelo presente, com indignação e revolta, solicitar o que se segue, considerando o inominável absurdo visto ontem em relação a arbitragem:

1. Que a Diretoria Executiva solicite a todos os conselheiros da Sociedade Esportiva Palmeiras que integram também o corpo de trabalho da Federação Paulista de Futebol que peçam demissão do cargo, até o final desta semana, ou que renunciem ao seu mandato no conselho do clube.

2. Que a SEP dispute o Campeonato Paulista de 2019 com uma equipe formada apenas por jovens atletas da nossa base.

3. Que o clube, através dos seus próprios recursos, filme as partidas na íntegra, com diversas câmeras e de vários ângulos, especialmente a equipe de arbitragem presente em nossos jogos, para que possa, assim, evitar que ocorra novamente interferência externa em nossos jogos, fato que, aliás, tem se tornado corriqueiro em prejuízo ao nosso clube.

Leia também: Botafogo, Cruzeiro, Grêmio... os campeões estaduais de 2018 pelo Brasil

4. Proíba que qualquer membro da arbitragem presente ontem na decisão do campeonato volte a trabalhar em qualquer jogo do Palmeiras , por qualquer campeonato, em qualquer tempo e que tal restrição se aplique também ao chefe de arbitragem Dionísio Roberto Domingues.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.