Tamanho do texto

Justiça não derruba habeas corpus, Zeca está livre para assinar com Flamengo e lateral já fala sobre novo clube. Fla ainda espera exames

A Justiça do Trabalho negou um recurso do Santos que tentava derrubar o habeas corpus que liberou o lateral Zeca de qualquer vínculo trabalhista com o clube. Assim, o atleta está livre para assinar com qualquer time. O jogador já está apalavrado com o Flamengo e acertou as bases salariais.

Leia também: Adriano fala em "reconstruir" a carreira e admite conversa com o Flamengo

Zeca, lateral do Santos, está próximo do Flamengo
Divulgação
Zeca, lateral do Santos, está próximo do Flamengo

Durante amistoso em Paranavaí, a sua terra natal, Zeca afimou que só "falta viajar para assinar e fazer exames" para que ele seja o primeiro reforço do Flamengo para o ano de 2018. Entretanto, o Santos ainda vai apelar na justiça para tentar cassar a liminar e impedir a transferência do jogador sem receber uma quantia em dinheiro.

Leia também: Flamengo encaminha oferta de empréstimo por volante medalhista de ouro no Rio

O lateral ainda comentou sobre a negociação com o clube rubro-negro: "Você quer adivinhar, né? É com o Flamengo, minha liminar, ganhei, estou apalavrado. Eu tenho acertado em todos os aspectos com o clube. Eu falei com o meu empresário, e ele falou que era melhor não ficar falando muito, mas sei que há muitos rumores. Se Deus quiser, vou ser muito feliz lá", afirmou o atleta em entrevista exclusiva à TV RPC.

O jogador surgiu nas divisões de base pelo lado direito mas atuou na esquerda na maior parte da carreira, mesmo sendo destro. Se for confirmado, Zeca poderá atuar nas duas laterais, já que o Flamengo necessita de reforços para os dois lados. 

Leia também: Mercado da bola 2018: confira as contratações e perdas dos clubes do Brasileirão

Os laterais do Flamengo

Pela esquerda, Renê não se firmou como titular do Flamengo e conviveu com lesões no final do ano, já Trauco teve um unício promissor, mas caiu de rendimento, principalmente na parte defensiva. Na direita, Pará não manteve as atuações de 2016, mas foi usado pelos dois lados do campo e foi o principal nome da posição. Rodinei não foi muito utilizado por Reinaldo Rueda, enquanto Zé Ricardo utilizava o jogador em uma função mais ofensiva, onde o jogador fez gols decisivos no ano.


    Leia tudo sobre: Futebol