Tamanho do texto

Grêmio vai enfrentar o Lanús na decisão do torneio e tenta esquecer o passado: as duas últimas eliminações do time foram para argentinos

Na noite de quarta-feira (1), jogando em casa, o Grêmio foi derrotado por 1 a 0 pelo Barcelona de Guayaquil , do Equador, mas ainda assim assegurou a vaga na final da Copa Libertadores da América . Depois da classificação, jogadores e o técnico Renato Gaúcho comemoram o feito e já começaram a falar do adversário da decisão do torneio intercontinental, o Lanús, da Argentina. 

Grêmio perdeu em casa para o Barcelona-EQU, mas garantiu a vaga na final da Libertadores pelo placar agregado
Fotos Públicas
Grêmio perdeu em casa para o Barcelona-EQU, mas garantiu a vaga na final da Libertadores pelo placar agregado


Leia também: Gabriel Jesus é capa de revista e impressiona na Inglaterra: "Tão bom que assusta"

Na entrevista coletiva após a partida na Arena, Renato Gaúcho lembrou que a vaga na final não foi decidida naquela noite, mas, sim, no placar agregado. Na primeira partida da semi, o Grêmio foi ao Equador e venceu o Barcelona por 3 a 1. "O mais importante de tudo é o Grêmio estar numa final. Uma partida de Libertadores não se define em 90 minutos, são 180 dividido em duas de 90 e o Grêmio levou a melhor. Infelizmente nós perdemos o jogo por 1 a 0, mas o total foi 3 a 1", disse o treinador. 

Renato também reconheceu que a equipe não fez uma boa partida em casa, mas ressalta que o que conta agora é a final do torneio estar garantida. "Não fizemos uma grande partida. A gente sabe disso. O clube respeitou o adversário. Não foi atoa que eles eliminaram o Palmeiras e o Santos", analisou o técnico. "Nós sabíamos que iríamos encontrar bastante dificuldades. Não adianta ficar dando voltinhas, o Grêmio está na final e ponto final”, completou Renato Gaúcho. 

Reencontro com argentinos

O tricolor gaúcho terá pela frente o Lanús na busca de mais um título da Libertadores e os encontros recentes do time com uma equipe argentina não trazem boas lembranças. As duas últimas eliminações do clube foram justamente diante de rivais argentinos. Em 2016, os brasileiros pararam diante do Rosario Central ainda nas oitavas de final. Em 2014, mesmo cenário e derrota para um argentino nas oitavas, na ocasião o carrasco foi o San Lorenzo, que acabou com o título daquele ano. 

A história da Libertadores ainda tem outros confrontos negativos para os gremistas diante de argentinos. Na final, o time perdeu para o Independiente, em 1984, e para o Boca Junior, em 2007. 

Leia também: "Neymar e Mbappé são alvos de pressão desnecessária", diz Thiago Silva

Renato Gaúcho comanda Grêmio na segunda partida da semifinal da Libertadores
Divulgação/Grêmio
Renato Gaúcho comanda Grêmio na segunda partida da semifinal da Libertadores

Para superar possíveis "traumas" em jogos contra os vizinhos, vale lembrar que neste ano o Grêmio eliminou o argentino Godoy Cruz também nas oitavas, depois de vencer das duas partidas: 1 a 0 fora de casa e 2 a 1 na Arena em Porto Alegre. 

Agora, sabendo que terá o Lanús pela frente, Renato Gaúcho evita muitas projeções. "Favorito? Não tem. 50% é do Grêmio e outros 50% é do Lanús", disse na coletiva da noite de quarta-feira. 

Grêmio e Lanús fazema primeira partida da final da Libertadores no dia 22 de novembro, quarta-feira, em casa, às 21h45 (horário de Brasília). O segundo jogo está marcado para o dia 29 de novembro, no estádio La Fortaleza, em Buenos Aires, na Argentina.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.