Tamanho do texto

Documentário seria exibido pela primeira vez no fim de novembro, exatamente um ano após o acidente na Colômbia

Queda do avião da Chapecoense matou 71 pessoas em novembro de 2016
Reprodução
Queda do avião da Chapecoense matou 71 pessoas em novembro de 2016

A estreia do filme oficial sobre a tragédia envolvendo a Chapecoense estava marcada para 30 de novembro, exatamente um ano após a queda do avião da Lamia em Medellin. A Justiça, no entanto, decidiu suspender a exibição do documentário  "O Milagre de Chapecó" a pedido do próprio clube catarinense.

Leia também: Veja os nomes de quem estava no voo da Chapecoense que matou 71 pessoas

A Chapecoense alegou quebra de contrato e o juiz Marcos Bigolin, da 3ª Vara Cível de Chapecó, concedeu a liminar. A produção conta a evolução do clube na história recente até chegar à primeira divisão do Brasileirão, passando também pelo acidente aéreo de 29 de novembro do ano passado, que deixou 71 mortos e apenas seis sobreviventes.

Relembre o emocionante adeus às vítimas na Arena Condá:

Além de adiar a estreia, a decisão da Justiça catarinense pede a suspensão da divulgação do trailer em 48 horas, inclusive da internet. De acordo com a Chape, o trailer foi exibido em salas de cinema sem o consentimento do clube, incomodando também familiares das vítimas.

Leia também: Polícia Federal investiga ligação entre Chapecoense, Conmebol e LaMia

A Afav-c (Associação dos Familiares das Vítimas do Voo da Chapecoense), inclusive, já havia informado que tinha a intenção de entrar com uma ação na Justiça para que o filme não fosse exibido. 

Leia também: Sobrevivente da tragédia da Chape tatua avião em homenagem às vítimas

A assessoria de imprensa da Afav-c revelou ainda que a viúva de uma das vítimas do fatídico voo foi ao cinema com os filhos em Chapecó para ver um filme infantil e foi surpreendida pelo trailer do documentário. Segundo a organização, a família inteira deixou a sala chorando.

Confusão com a Chape

De acordo com Luis Ara Hermida, diretor do documentário, a produtora Trailer Ltda tem autorização de todos os familiares que foram entrevistados para o documentário, bem como aval da própria Chapecoense. Hermida disse que o clube comunicaria os demais familiares de vítimas sobre a produção, o que não foi feito. 

    Leia tudo sobre: Futebol