Tamanho do texto

Presidente Josep María Bartomeu afirmou que saída "não foi muito correta"

A venda de Neymar do Barcelona para o Paris Saint-Germain ainda está envolvida em muita polêmica para os catalães. O presidente do clube, Josep María Bartomeu, confirmou nesta segunda-feira que notificou a Uefa , entidade que gere o futebol europeu, sobre os altos valores da venda.

Leia também: Neymar chega ao PSG e se defende: "Não fiz nada de errado"

Durante a abertura de um evento com sócios do time, Bartomeu falou pela primeira vez da saída do jogador e ressaltou que "as formas usadas com o Barcelona não foram corretas" tanto por parte de Neymar e seus representantes como pelo PSG.

Neymar foi apresentado no PSG na maior transação da história do futebol mundial
Divulgação / PSG
Neymar foi apresentado no PSG na maior transação da história do futebol mundial

"[O Barça] é contra essa inflação artificial do mercado também porque quer proteger o futebol para que ele seja sustentável. E isso ocorre porque ninguém pode gastar mais do que arrecada", disse Bartomeu ao justificar a notificação do clube à Uefa.

Leia também: Mbappé quer substituir Neymar, mas valor alto pode ser empecilho, diz jornal

"Nenhum jogador está acima do Barça. Tudo tem um limite e é isso que nós fizemos. O compromisso de fidelidade de Messi deveria ser um exemplo para todos aqueles que querem vestir nossas cores. Também o de Iniesta, que estamos tentando prorrogar para que siga vestindo nossa camisa", acrescentou.

Decisão de Neymar

Bartomeu ressaltou que o clube percebeu que poderia perder Neymar já na última temporada, quando negociou a renovação de contrato, e destacou que a decisão de sair foi toda do jogador.

Leia também: Espanhóis não sabem perder! Neymar é chamado de mercenário após ida ao PSG

"Fizemos tudo que estava ao nosso alcance para que ficasse. Sempre atuando com a responsabilidade que nos cabe, respeitamos a sua decisão. Tudo tem um limite e nenhum jogador pode ficar acima do Barcelona. Somos um clube com 118 anos de história, com grandes jogadores, com mais de 140 mil sócios e ele é deles, dos sócios, e não de um xeque ou de um oligarca", alfinetou Bartomeu.

O PSG tem como dono um dos homens mais ricos do Catar, que desembolsou 222 milhões de euros (cerca de R$ 815 milhões) para tirar o atacante brasileiro do Barcelona.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.