Tamanho do texto

Ministério Público espanhol acusou o colombiano de transferir empresas para paraíso fiscal e denunciou também o português Fábio Coentrão, do Real

O Ministério Público da Espanha apresentou denúncias contra os jogadores Radamel Falcao, atualmente no Monaco, da França, e Fábio Coentrão, que está no Real Madrid, acusando-os de fraudar em milhões a receita espanhola. As queixas, por mais que sejam parecidas, foram feitas separadamente.

Leia também: Jogadora tem surto de raiva, espanca adversária e deve ser banida do futebol

Falcao Garcia , de acordo com a denúncia do Ministério Público, teria omitido ao fisco cerca de 5,66 milhões de euros (cerca de R$ 19,45 milhões), entre 2012 e 2013, quando defendeu o Atlético de Madri, já o português foi acusado de fazer o mesmo com 1,29 milhões de euros (aproximadamente R$ 4,4 milhões). Cinco delitos contra a Fazenda e Imposto de Renda foram apontados contra os dois jogadores.

Falcao Garcia em ação pelo Monaco. Ele foi acusado de fraudar em mais de R$ 19 milhões a receita da Espanha
Reprodução/Twitter
Falcao Garcia em ação pelo Monaco. Ele foi acusado de fraudar em mais de R$ 19 milhões a receita da Espanha

O colombiano é acusado de transferir suas empresas de Madri para a Colômbia e para um paraíso fiscal, no caso, as Ilhas Virgens. Além disso, a acusação diz que o atacante criou uma estrutura corporativa com o único propósito de esconder sua renda da Receita espanhola. As empresas deveriam ter sido tributadas na Espanha, ainda segundo o relatório.

Leia também: Cartão branco será implementado em jogos de futebol; entenda como funciona

Fábio Coentrão, por sua vez, é acusado de assinar um contrato que simulou a transferência dos seus direitos de imagem para uma empresa no Panamá. A intenção do português era pagar menos impostos e tributos. Quatro dias antes de fechar com o Real Madrid, porém, o lateral português transferiu suas contas para uma empresa da Irlanda.

Leia também: Luis Suarez usou conta no Panamá para receber pagamentos, diz jornal

Outros casos

Recentemente, um jornal espanhol revelou que o uruguaio Luis Suárez, atacante do Barcelona, desde que começou a jogar na Europa, em 2006, acumulou sua renda em uma conta aberta no Panamá, considerado um paraíso fiscal, que permite que empresas offshore não paguem impostos sobre transações internacionais. Neymar também foi acusado pelo Ministério Público espanhol, que chegou a pedir a prisão do craque. O processo ainda não chegou a fase final.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.