Tamanho do texto

Diante de 39 mil torcedores, Verdão venceu por apenas 1 a 0 e não conseguiu reverter vantagem construída pela Macaca no 1º jogo; Ponte Preta volta à final de Paulista após 9 anos e aguarda decisão entre Corinthians e São Paulo

Equipe de William Pottker e Aranha (foto) eliminou o Santos e o Palmeiras no caminho à final do Paulistão 2017
PontePress/FabioLeoni
Equipe de William Pottker e Aranha (foto) eliminou o Santos e o Palmeiras no caminho à final do Paulistão 2017

O Palmeiras tentou, tentou, tentou... Mas acabou eliminado do Campeonato Paulista pela Ponte Preta neste sábado (22), diante de mais de 39 mil torcedores no Allianz Parque. Mesmo com a derrota por 1 a 0, a Macaca se tornou a primeira finalista do Paulistão 2017 devido ao placar de 3 a 0 conquistado no jogo de ida. 

Leia também: Vaticano pode ir à Justiça contra foto do papa Francisco com camisa do Palmeiras

O único gol da partida foi marcado por Felipe Melo, em falha do goleiro Aranha, já no fim do segundo tempo. Na primeira etapa do jogo, o alviverde chegou a reclamar de um pênalti não marcado pela arbitragem, mas o fator determinante para a classificação da Macaca neste sábado acabou sendo a grande aplicação de seus jogadores na defesa e as falhas de finalização dos palmeirenses.

O outro finalista do Paulistão será conhecido neste domingo (23), quando Corinthians e São Paulo se enfretarão na arena do Timão. O alvinegro tem a vantagem conquistada na primeira partida, que terminou com derrota do Tricolor por 2 a 0, em pleno Morumbi.

Os jogos que vão definir o campeão do Paulistão 2017 serão realizados nos próximos dois domingos, dias 30 de abril e 7 de maio. Um dos clubes mais antigos do Brasil, com 116 anos, a Ponte Preta segue em busca do primeiro título de sua história. A equipe de Campinas não chegava a uma final de Paulista desde 2008, quando acabou derrotada justamente pelo Palmeiras.

Leia também: Filho de Cristiano Ronaldo imita o pai e faz golaço em cobrança de falta; veja

O jogo

Para tentar a virada diante da Ponte Preta, o técnico Eduardo Baptista promoveu duas mudanças em relação ao time que foi derrotado na semana passada no Moisés Lucarelli. O lateral Egídio tomou a vaga de Zé Roberto, que falhou no terceiro gol da Macaca no jogo de ida, e Róger Guedes ficou com a vaga de Willian.

A partida mostrou que seria bastante movimentada desde o início: com menos de dez minutos, o Palmeiras já havia chegado duas vezes, em cabeçadas de Guerra e Edu Dracena, e o volante Felipe Melo tinha recebido cartão amarelo por falta dura em cima de Pottker.

A Ponte respondeu aos 13 minutos com chute cruzado do artilheiro William Pottker. A bola saiu à direita de Fernando Prass, com muito perigo.

Com Felipe Melo posicionado do lado esquerdo da defesa como se fosse um terceiro zagueiro, o Palmeiras explorava bastante as beiradas do campo com os laterais Egídio e Jean, que estavam liberados para apoiar no ataque. Em uma dessas jogadas, Jean encontrou Róger Guedes dentro da área, o atacante dominou e tentou bater, mas acertou a rede pelo lado de fora. No minuto seguinte, aos 23, Jean recebeu passe de Dudu na entrada da área, mas mandou por cima do gol.

A posse de bola era total palmeirense e, aos 35 minutos, o goleiro Aranha vacilou após cobrança de lateral e o artilheiro Borja tentou aproveitar, mas acabou atingindo o travessão. Dois minutos depois, reclamação de pênalti para o Palmeiras em disputa dentro da área entre Jean e Fernando Bob – a falta, de fato, aconteceu. 

Guerra ainda obrigou o goleiro da Ponte a fazer grande defesa, mas, apesar da pressão, a equipe de Campinas conseguiu dar uma esfriada no jogo e o primeiro tempo terminou em 0 a 0.

As duas equipes voltaram sem mudanças para o segundo tempo e a primeira grande chance aconteceu aos 7 minutos, em cabeceio de Edu Dracena que saiu por cima da meta de Aranha.

Eduardo Baptista tentou as entradas de Michel Bastos no lugar de Tchê Tchê e Willian no lugar de Borja – este último, vaiado por parte da torcida. Keno também entrou no lugar de Egídio e Gilson Keina mandou Wendel a campo, no lugar de Jadson.

O Palmeiras não conseguiu manter a pressão do primeiro tempo e só foi alcançar seu único gol aos 37 minutos do segundo tempo, após vacilo de Aranha terminar em conclusão de Felipe Melo.

O Verdão ainda tentou ir para o abafa, mas a Ponte Preta seguiu firme na defesa. O último lance importante do jogo foi a favor do time de Campinas: William Pottker correu o campo inteiro sozinho, mas na hora de driblar Fernando Prass, o goleiro palmeirense conseguiu interceptar a bola. Fim de jogo e a Macaca é a primeira finalista do Paulistão 2017.

Leia também: Messi e Cristiano Ronaldo se beijam em grafite de rua espanhola