Tamanho do texto

De acordo com o pai da vítima, Emanuel Ezequiel Balbo teria encontrado o responsável pela morte de seu irmão, que foi atropelado em 2012

Torcedor Emanuel Ezequiel Balbo morreu durante o clássico Belgrano e Talleres
Reprodução
Torcedor Emanuel Ezequiel Balbo morreu durante o clássico Belgrano e Talleres

O torcedor Emanuel Ezequiel Balbo morreu durante o clássico Belgrano e Talleres, pelo Campeonato Argentino. A partida aconteceu no último sábado (15), e após uma confusão, o jovem foi atirado de cabeça de uma arquibancada e já no hospital, teve morte cerebral confirmada pelos médicos.

LEIA TAMBÉM: Bandeirinha vetada no BBB atrai olhares de atletas em campo: "Não me acho sexy"

De acordo com a imprensa local, três pessoas já foram identificadas como responsáveis pela queda do torcedor . Em entrevista ao jornal "Clarín", o pai da vítima acusa Oscar Gomez, um antigo conhecido da família, pela morte do filho. Quatro suspeitos já foram presos e a polícia argentina ainda investiga as reais causas do acidente. 

Raul Balbo, pai de Emanuel, afirma que a confusão aconteceu porque o filho teria encontrado o homem responsável pela morte de seu irmão, que faleceu em 2012. Naquele ano, Mauricio Balbo foi atropelado por um carro que disputava um racha e o motorista fugiu em seguida. Um dos envolvidos na morte de Mauricio seria Oscar Gomez, quem teria sido visto por Emanuel na torcida do Belgrano. O acusado ainda está sendo procurado pela polícia.

LEIA TAMBÉM: Para investigador, ataque ao Borrusia poderia ter deixado mortos em segundos

Motivo

As primeiras hipóteses eram de que Emanuel Balbo seria um torcedor infiltrado junto aos adeptos do Belgrano, o que foi desmentido pelo pai. "Primeiro, gostaria de esclarecer que meu filho não é torcedor do Talleres, não tem nenhuma tatuagem do Talleres e muito menos estava roubando no estádio. Meu filho é muito torcedor do Belgrano", disse Raul Balbo.

"O problema é que, há quatro anos, mataram o meu filho mais novo, e ele (Emanuel) foi ao estádio e viu um dos assassinos. Oscar Gómez é um dos que matou o meu filho em 2012. Emanuel reconheceu-o e a confusão começou. O pouco homem que é Oscar Gómez, em vez de se defender, incitou à violência gritando que o meu filho era adepto do Talleres e pediu que o tirassem dali", alegou o pai.

LEIA TAMBÉM: Novo dono do Milan quer time entre os cinco melhores do mundo

Em nota oficial, o Belgrano lamentou a morte do torcedor e pediu "reflexão pelo que aconteceu e se coloca à disposição dos organismos de segurança para colaborar no esclarecimento do caso".