Tamanho do texto

"O treinador também terá o benefício do seguro de vida e de acidentes pessoais da CBF", disse um dirigente da entidade

A partir da próxima segunda-feira, dia 10 de abril, os treinadores de futebol também terão os seus contratos de trabalho registrados na CBF (Confederação Brasileira de Futebol). A entidade comunicou a novidade às federações e seus filiados na última quinta-feira.

Leia também: Ele jogou no Flamengo e agora será protagonista de novela Global

Renato Gaúcho é técnico do Grêmio e poderá ser beneficiado pela CBF
Flickr oficial do Grêmio
Renato Gaúcho é técnico do Grêmio e poderá ser beneficiado pela CBF

"O registro para os treinadores é um passaporte esportivo para esse profissional, que terá todo o seu histórico de trabalho preservado. É uma certeza de que no futuro direitos básicos, como a previdência, seja comprovado. O treinador também terá o benefício do seguro de vida e de acidentes pessoais da CBF , nos mesmos moldes do oferecido aos jogadores", explicou Reynaldo Buzzoni, diretor de Registro, Transferência e Licenciamento de Clubes.

Leia também: Time de futebol feminino é patrocinado por bordel e gera polêmica

O registro de treinadores foi aprovado pelos clubes participantes do Campeonato Brasileiro das Séries A, B e C nos Conselhos Técnicos realizados no mês de fevereiro. A CBF, no entanto, estudava a proposta desde 2016. Com essa iniciativa, a entidade promove melhores benefícios aos profissionais que compõem o sistema do futebol brasileiro, contribuindo para o seu desenvolvimento e modernização.

Leia também: Polícia da Itália prende envolvidos em cidadania ilegal a jogadores brasileiros

Bom dia para você que acordou na liderança do ranking da FIFA novamente! Foto: @lucasfigfoto /CBF #rankingFIFA #FIFA #CBF #futebol #FechadoComASeleção

Uma publicação compartilhada por Seleção Brasileira de Futebol (@cbf_futebol) em

Avanço no futebol

O registro dos referidos contratos representa um grande avanço na estrutura do futebol e passará a ser obrigatório para os clubes que venham a disputar o Campeonato Brasileiro, em todas as suas séries, conforme já previsto nos atuais regulamentos específicos.

"É importante verificar se o profissional já não possui inscrição na CBF, no caso de ex-jogadores. Nesse caso, é só confirmar os dados e começar o processo de registro no mesmo número de inscrição de quando ele atuava como jogador", completou Buzzoni.

    Leia tudo sobre: Futebol