Tamanho do texto

Camisa 10 da seleção brasileira não pretende, e nem pode, defender a Suécia, dentro do campo, mas poderá viver no país após encerrar a carreira

Marta agora tem dupla nacionalidade
Roberto Castro/ ME/ Brasil2016
Marta agora tem dupla nacionalidade

Camisa 10 da seleção brasileira feminina de futebol, a alagoana Marta agora tem dupla nacionalidade. Nesta quarta-feira (15) ela anunciou que conseguiu a nacionalidade sueca. A jogadora está no país há 10 anos e já defendeu três clubes diferentes - atualmente, joga no Rosengard, time localizado na cidade de Malmo.

Leia também: A partir de 2019, clube sem futebol feminino não disputará Libertadores

Marta , no entanto, não deixa sua condição de brasileira de lado e também não pretende defender a seleção da Suécia em qualquer competição - e ela nem poderia, já que pelas regras do futebol internacional, é proibido jogar por outro país após participar de competições oficiais por algum.

Leia também: Ícone da seleção brasileira, Formiga assina com o Paris Saint-Germain

"Quero poder viver a longo prazo na Suécia. Eu gosto de tudo na Suécia e agora terei a possibilidade de continuar vivendo aqui quando encerrar minha carreira", disse a camisa 10 ao jornal sueco "Sydsvenskan". "Eu me sinto sueca também. Estou superfeliz de ter feito agora", completou.

Uma semana abençoada a todos , muita paz e amor 😍❤️😘!

Uma publicação compartilhada por martavsilva10👻 (@martavsilva10) em

Carreira

Uma das maiores jogadores da história do futebol feminino, chamada até de "Pelé de Saia" e de "Rainha", Marta atuou ainda na juventude no CSA, de Alagoas, mas seu primeiro time profissional foi o Vasco da Gama, em 2000, atuou pelo Santa Cruz de Minas Gerais e foi contratada pelo Umea, da Suécia, em 2004, com apenas 18 anos.

Leia também: Histórico! Seleção feminina será comandada por uma mulher pela primeira vez

Lá ficou até 2009, quando foi para os Estados Unidos e jogou por três equipes - Los Angeles Sol, FC Gold Pride e Western New York Flash. Entre 2009 e 2010, foi emprestada ao Santos, assim como em 2011. Em 2012 Marta voltou para a Suécia e defendeu o Tyreso e desde 2014, a canhota de 31 anos defende o Rosengard.

    Leia tudo sobre: futebol