Tamanho do texto

Com o contrato junto ao Orlando City no fim, Kaká deseja voltar ao Brasil para ficar próximo dos filhos e, quem sabe, ser treinado por Rogério Ceni

O contrato do meio-campista Kaká com o Orlando City, time norte-americano da Major League Soccer (MLS), termina no fim desta temporada. E o jogador une o fato de ter terminado o casamento para revelar que deseja voltar ao Brasil e ficar próximo dos filhos. Além disso, ser treinado por Rogério Ceni, hoje técnico do São Paulo, é uma das coisas que o brasileiro deseja.

Leia também: Fácil fazer 6 gols? Veja a última vez que brasileiros golearam como o Barcelona

“Um fato difícil é ficar longe dos meus filhos, eles no Brasil e eu aqui, então, com certeza vai pesar na minha decisão final", afirmou. “Estou curtindo muito essa fase do Rogério. Ele é um cara que eu admiro e tenho um carinho. A minha torcida é para que o São Paulo continue bem. E ter ele como treinador um dia seria uma experiência muito legal”, revelou Kaká em entrevista ao programa da Rede Record, "Esporte Fantástico", que vai ao ar neste sábado (11).

Kaká e Rogério Ceni jogaram juntos no São Paulo em duas oportunidades
Divulgação
Kaká e Rogério Ceni jogaram juntos no São Paulo em duas oportunidades

O meia também disse que, mesmo de longe, continua ligado no clube do Morumbi e utiliza um aplicativo no celular para ficar por dentro de tudo que acontece. “Eu torço a cada partida do São Paulo. Coloquei um aplicativo no celular para ir avisando o resultado e, acabando os jogos, eu mando mensagens para o Rogério dando os parabéns”, acrescentou.

Leia também: Lá vem eles de novo! CBF anuncia amistoso da seleção brasileira contra Alemanha

Em outro momento, o jogador de 34 anos acredita que o brasileiro Neymar, atacante do Barcelona, será melhor do mundo em breve, além de fazer uma brincadeira com o time da Catalunha.

“Acredito que seria o Neymar o próximo da lista de melhor do mundo, por tudo aquilo que ele tem feito no Barcelona. Mas acho que se ele mudasse o nome pra ‘Reymar’ a chance seria grande, já que todos os brasileiros que ganharam começam com a letra ‘R’”, salientou, referindo-se a Romário, Ronaldo, Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho e a ele mesmo, que famoso pelo apelido Kaká, se chama Ricardo.

Leia também: Em visita ao Líbano, pentacampeão Edmílson joga futebol com crianças refugiadas

Por fim, o meia contou que não descarta uma possível volta à seleção brasileira, hoje comandada pelo técnico Tite. “Estou assistindo, acompanhando e feliz com essa chegada do Tite. Acho que está no caminho certo. Minha relação com a seleção sempre foi muito boa, e agora, na minha idade, com a maturidade, seria uma coisa mais de comum acordo, se fosse bom para mim e para seleção...”, concluiu.

Carreira

Kaká foi revelado pelo São Paulo na década de 1990 e ficou no clube até 2003, quando transferiu-se ao Milan e conquistou muitos títulos, entre eles, o da Liga dos Campeões da Uefa de 2006-07 e o Mundial de Clubes de 2007, além de ser eleito o melhor jogador do mundo daquele ano - foi o último a desbancar a dupla Messi e Cristiano Ronaldo. Passou ainda pelo Real Madrid, onde conquistou um Campeonato Espanhol. Com a seleção brasileira, foi campeão do mundo em 2002 e disputou outras duas Copas, em 2006 e 2010.

    Leia tudo sobre: Futebol