Tamanho do texto

Campanha cruzeirense vai mostrar estatísticas sobre a violência contra as mulheres e também a desigualdade com relação aos homens nas camisas

O Cruzeiro enfrenta o Murici, de Alagoas, nesta quarta-feira (8), pela terceira fase da Copa do Brasil. A data coincide com o Dia Internacional da Mulher, onde praticamente o mundo inteiro pensa à respeito dos direitos femininos e das necessárias lutas delas. O clube mineiro, então, decidiu inovar e propôs uma importante reflexão ante às estatísticas que mostram que a violência contra as mulheres e as desigualdades com relação aos homens no Brasil ainda são altas.

Leia também: Dia Internacional da Mulher: 10 mulheres que fizeram diferença no esporte

Junto com a numeração dos jogadores do Cruzeiro , frases sobre estas estatísticas serão colocadas, como "A cada 11 minutos, um estupro", "A cada 10 joves, 8 sofreram assédio", "A cada 2h uma é morta", "Salários 30% menores". Os números foram tirados da ONG Azminas, que luta pelo empoderamento feminino e mostram o cotidiano difícil das mulheres no Brasil.

O Cruzeiro decidiu expôr muitas realidades negativas pelas quais as mulheres brasileiras ainda vivem
Divulgação / Cruzeiro
O Cruzeiro decidiu expôr muitas realidades negativas pelas quais as mulheres brasileiras ainda vivem

"O Cruzeiro Esporte Clube tem participado de diversas campanhas contra qualquer tipo de preconceito. Em pleno século XXI, não é tolerável ver as mulheres sofrerem atos de violência e discriminação. Com esta ação, nos juntamos a todos que combatem as desigualdades contra pessoas do sexo feminino. Esse é um dos papeis sociais que os clubes de grandes torcidas precisam sempre estar desenvolvendo", disse o presidente cruzeirense, Gilvan de Pinho Tavares, ao site oficial.

Leia também: No Dia da Mulher, Atletas italianas pedem 'direito à maternidade'

"Muita gente pensa que a luta pelos direitos das mulheres não faz mais sentido. Mas os dados que os jogadores vão exibir mostram o quanto essa questão segue sendo atual", afirmou a diretora institucional da ONG Azmina, Letícia Bahia.

Campanha vai além

A campanha também servirá como conscientização de importantes questões, como por exemplo, a depressão pós-parto.

Leia também: Anúncio de jogo é considerado machista e causa muita polêmica na Alemanha

As muitas estatísticas negativas sobre as mulheres do Brasil
Divulgação / Cruzeiro
As muitas estatísticas negativas sobre as mulheres do Brasil

"O Dia Internacional da Mulher não é um momento apenas de trazer à tona toda a característica de desigualdade que ainda existe no Brasil e no mundo, mas também é um momento de conscientização de outros aspectos relacionados à mulher. Alguns dos números que vamos destacar têm a ver com o cuidado da mulher com a saúde, com o próprio corpo. É importante a gente ter um momento desse, onde você pode trazer à tona assuntos tão importantes e relacionados à mulher", ,relatou o diretor de marketing do Cruzeiro, Marcone Barbosa.

    Leia tudo sobre: Futebol