Tamanho do texto

Depois de 30 anos, Andy Woodward foi o primeiro a denunciar o escândalo de abuso sexual no futebol inglês

Andy Woodward
Christopher Thomond/ The Guardian
Andy Woodward

No último mês, a polícia da Inglaterra relatou diversas denúncias de abusos sexuais a atletas no início da carreira no futebol britânico. Andy Woodward foi o primeiro ex-jogador a se pronunciar sobre o caso.

Leia mais: CBF confirma Brasil x Colômbia no RJ para ajudar famílias das vítimas da Chape

O ex-jogador , agora com 43 anos, finalmente fala em público sobre o abuso sofrido aos 11 por um de seus treinadores. O caso aconteceu quando Andy Woordard jogava na categoria de base do Crewe Alexandra, time do noroeste da Inglaterra.

Na época, ele chegou ao clube através de Barry Bennell, um dos treinadores do Crowe. Pouco menos de um mês depois, foi convidado a passar um tempo na casa de Bennell. A partir daí, começaram os abusos.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, Andy Woodward conta que foi torturado por muito tempo. "Tive doenças mentais, problemas de relacionamento. É um sentimento horrível." Segundo o ex-jogador, Barry Bennell escolhia os meninos mais frágeis. Vários jogadores passavam finais de semana e feriados na casa do treinador e para piorar, Benell se casou com a irmã de Woodward.

Aos 29 anos, Andy Woodward se aposentou do futebol. Os traumas do abuso eram evidenciados em crises de choro em campo e ataques de pânico. No ano passado, decidiu que precisava contar seu choque. "Eu queria proteger as crianças deste tipo de abuso horrível e sabia que a única maneira era falar", disse.

Leia mais: PSG tem sete dos 10 jogadores mais bem pagos do campeonato francês

Epidemia

Mas o ex-jogador ainda afirma que o assédio sexual dentro do futebol infantil não se restringe apenas na Inglaterra. Woodward afirma que se trata de uma questão global, é uma "epidemia". Para ele, é a oportunidade perfeita para um abusador ficar sozinho com um grupo de crianças. "O futebol tem esse poder de ser o sonho das crianças, que se tornam vulneráveis".

Os dirigentes de clubes se beneficiam do cargo e situação para chantagear as crianças. "Se lhe dissesse 'não', ele me tirava do time por algumas semanas. Ele tinha esse poder sobre mim. Eu tinha medo de recusá-lo."

Até agora, são 83 suspeitos em potencial e 98 clubes ingleses foram mencionados. Das vítimas, 343 são homens e 7 mulheres.

Leia mais: Messi recebe proposta para ganhar cerca de R$ 1 milhão por dia na China

Para combater o abuso sexual dentro do futebol infantil, o ex-jogador, junto com outras vítimas, criou o Offside Trust. A organização batalha agora por doações para fortalecer a estrutura e busca auxílio na Premier League.