Tamanho do texto

Técnico Oswaldo de Oliveira tenta acalmar os ânimos dos jogadores para a partida de quarta-feira e evita falar em "final antecipada"

Jogadores do Botafogo minimizam caráter de decisão
Flickr/Botafogo
Jogadores do Botafogo minimizam caráter de decisão

O duelo entre Cruzeiro e Botafogo, dois clubes que lutam por título neste Brasileirão, pode ser considerado a final antecipada do torneio. Pelo menos é esse o clima no time carioca, que tenta controlar a ansiedade do elenco e o caráter de decisão que acerca a partida. O Cruzeiro é o líder com 46 pontos, enquanto o Botafogo ocupa a vice-liderança com 42. 

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

"Nós sabemos que vai ser um jogo muito complicado, mas ainda não é uma final. Porém, estamos encarando como uma grande oportunidade de reduzirmos essa diferença para o Cruzeiro. A gente está com fome, mas respeitamos todo mundo, porque é um campeonato difícil. São quatro vitórias (consecutivas). Vamos procurar essa vitória contra o Cruzeiro, o que será muito complicado", disse o meia holandês Seedorf.

O zagueiro Bolívar também evitou falar em "final antecipada". "Nós sabemos que a partida vai ser muito complicada. O Cruzeiro possui um grande time, está embalado e é muito forte atuando no Rio de Janeiro. Vamos nos preparar para um jogo decisivo, não uma final antecipada porque ninguém vai ser campeão com qualquer resultado que venha a acontecer. Mas é uma partida muito importante, pois vale três pontos contra um concorrente direto. Ganhando, vamos levar três pontos para casa e ainda impedir que um rival direto possa somar três pontos em seu estádio", afirmou.

Os jogadores entendem que não se trata de uma final, mas ninguém parece mais preocupado em tirar o peso das costas de seu elenco do que o técnico Oswaldo de Oliveira. "Acho que se pode jogar com a palavra final para se pensar em atrair o torcedor, em fazer uma manchete. Mas todos nós sabemos que essa partida não é uma final antecipada, porque ainda faltam dezessete partidas para cada time no Campeonato Brasileiro e qualquer resultado que venha a acontecer é reversível", ressaltou o treinador.

A definição da equipe que vai a campo acontecerá no treino da terça-feira à tarde, previsto para o Engenhão. Neste duelo Oswaldo de Oliveira não poderá contar com o zagueiro Dória, que foi advertido com o terceiro cartão amarelo na vitória de 2 a 1 sobre o Santos e terá que cumprir suspensão. Assim, André Bahia ganha uma oportunidade de formar dupla com Bolívar. O reforço fica por conta do meia uruguaio Lodeiro, que estava suspenso diante do Peixe e reaparece, provavelmente na vaga de Hyuri. Após o treino a delegação embarca para a capital mineira.

Fora de campo a diretoria já se movimenta para pagar R$ 900 mil ao Audax-RJ e adquirir 60% dos direitos federativos do meia Hyuri, que está emprestado ao clube até 2015. O Glorioso tem prioridade nesta compra e o jogador vem se destacando em campo, chamando a atenção de empresários.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.