Tamanho do texto

Equipe brasileira de Parataekwondo brilhou em Lima 2019

Equipe Brasileira de Parataekwondo arrow-options
foto de Alan Nascimento
Equipe Brasileira de Parataekwondo

                   O Parataekwondo é o Taekwondo paralímpico, a modalidade estreiou nos Jogos Parapan- Americanos de Lima, Peru 2019 e estará também nas Paralimpíadas de Tóquio, no Japão, em 2020, jamais o taekwondo fez parte da grade de esportes nos 2 jogos.

Kyra ensina mulheres

                   O Parataekwondo brasileiro formou sua primeira seleção em outubro de 2017 e desde lá vem ganhando cada vez mais espaço no cenário mundial.  Hoje está entre as 6 maiores potências mundiais e entre as 2 maiores da América. O Brasil , com 8 atletas, levou a maior delegação da América nos J ogos Parapan-Americanos .
                   O técnico da seleção brasileira de Parataekwondo é Alan Nascimento e ele estima que no Brasil, cerca de 3.000 pessoas com deficiência pratiquem taekwondo, porém pouquíssimas são elegíveis à classe determinada para participação nos Jogos. A classe permitida é a classe de luta K44, que é para pessoas com amputação ou dismelia em membro superior unilateral do cotovelo ao punho, hemiplegia (amputação do dedão do pé ou de parte do pé) e para pessoas com uma perna menor 7 centímetros quando comparada com a perna sem lesão.

equipe brasileira Parataekwondo arrow-options
Foto Alan Nascimento
Equipe brasileira Parataekwondo



                     Alan Nascimento é técnico da seleção desde 2017 e precussor da modalidade no Brasil, responsável pela criação da primeira seleção a representar o Brasil no circuito internacional de competições. Aos 39 anos, Alan tem vasta carreira no taekwondo. Além disso foi Ex Presidente da Federação Brasileira de Parataekwondo . Alan coleciona vários títulos como atleta.

Nossa Seleção

                    Nossa seleção contou com importantes atletas da modalidade no Pan: Nathan Torquato, atleta com dismelia unilateral em membro superior, hoje tem 19 anos, iniciou no taekwondo aos 4 anos, acumula vários títulos nacionais e internacionais em sua carreira, com destaque para o campeonato mundial cadete em 2014 em Baku no Azerbaijão, em que o atleta se classificou na categoria convencional porém foi proibido de competir pela Federação Mundial de Taekwondo (World Taekwondo Federation), devido a sua deficiência física.

                     Porém Nathan deu "a volta cima" e através do Parataekwondo se redescobriu e hoje é o 7º colocado no ranking mundial, está correndo o circuito de competições internacionais desde 2017, fazendo parte da primeira seleção da modalidade. Nathan acumula títulos: medalha de Prata Pan Am Open de Parataekwondo em 2018 e o Bronze no Pan Am Open de parataekwondo 2019.

E a farofa do churrasco?????

                    Debora Menezes é atleta com dismelia unilateral em membro superior, atual 2ª colocada no ranking mundial, faz o circuito mundial desde 2017 e faz parte também, da primeira seleção brasileira e possui vários títulos: campeã mundial de Parataekwondo 2019 em Antalya- Turquia, campeã campeonato Pan Am Open de parataekwondo 2019 em Portland - Estados Unidos 2019.

Khabib x McGregor

                    Cristiane Neves é uma aleta com amputação unilateral em membro superior, a mesma perdeu o membro por causa de um acidente de moto, atual 8ª colocada no ranking mundial, atua no circuito mundial desde 2017 e conquistou a medalha de bronze no campeonato mundial de Parataekwondo 2019 em Antalya na Turquia.

                     Bruno da Mota, é um atleta com dismelia unilateral em membro superior, conquistou a medalha de Bronze no campeonato classificatório dos J ogos Parapan-Americanos , Bronze no Campeonato Pan Am Open de parataekwondo 2019 em Portland nos Estados Unidos, Bronze no Oceania Open em Gold Coast na Australia, além de competir no campeonato mundial em Antalya na Turquia, campeonato Chuncheon em Chuncheon Coreia do Sul e Asia Open em Amman na Jordania, todos em 2019.

Seleção Parataekwondo arrow-options
Foto Alan Nascimento
Seleção Parataekwondo



                     Leylianne Santos é atleta com dismelia unilateral em membro superior, sua primeira participação na seleção foi neste ano no campeonato Pan Am Open de parataekwondo 2019 em Portland nos Estados Unidos em que conquistou a medalha de bronze.
                     Além destes atletas estiveram no Parapan Alexandre Santos, Fabricio Marques e Silvana Fernandes.

Que papelão Tyson!

                             A ideia do Parataekwondo no Brasil iniciou em 2015, porém foi no final de 2017 que a CBTKD assumiu a modalidade e formou a sua primeira seleção para competir no 7º Campeonato Mundial em Londres. A comissão técnica, coordenada por Rodrigo Ferla e que tem Alan Nascimento como técnico, ajudou em menos de 2 anos a colocar o Brasil entre as maiores potências doplaneta, atualmente o Brasil é o 1º da América e a 5ª do mundo.

                           No final do mês passado nos Jogos Parapan-Americanos o Brasil "esmerilhou": conquistou 5 medalhas, 2 de ouro (Silvana Fernandes e Nathan Torquato), 2 de prata (Cristhiane Neves e Debora Menezes e 1 medalha de bronze (Leylianne Santos), o melhor desempenho entre todos os países na competição.

Quer narrar a Olimpíada de Tóquio 2020?

                           E você, já conhecia o  Parataekwondo do Brasil?