Tamanho do texto

Faixa preta de Jiu-Jitsu já foi campeã mundial e do ADCC, mas parou de lutar e agora foca em sua academia e no projeto de defesa pessoal para mulheres

Kyra Gracie arrow-options
Reprodução/Instagram
Kyra Gracie

Não foi fácil para Kyra Gracie chegar onde chegou dentro do Jiu-Jitsu. Mesmo fazendo parte da família que criou o esporte no Brasil, não foi tão simples para ela participar de diversas competições e alcançar a tão sonhada faixa preta. São inúmeros títulos, entre eles, cinco campeonatos mundiais e três ADCC World Championship.

Leia também: Ministro do Esporte faz campanha para incluir jiu jitsu nas Olimpíadas

A maternidade, porém, mudou um pouco a vida de Kyra Gracie , que deixou os campeonatos de lado, mas não o Jiu-Jitsu . Hoje ela tem uma academia que leva o nome da família, a Gracie Kore, e tem um projeto de defesa pessoal para mulheres que vem crescendo a cada dia.

“Sempre pensei no Jiu-Jitsu como um estilo de vida, cresci no tatame aprendendo a me defender. E sempre tive que me provar nesse mundo tão machista. Nada veio fácil”, comentou ela em entrevista exclusiva ao iG .

Kyra acredita que hoje e cada vez mais é importante que as mulheres saibam se defender. “Vivemos em um mundo no qual a violência contra a mulher cresce a cada dia.  A cada dois segundo uma mulher é vítima de agressão no Brasil. Então, quando decidi que era a hora de abrir a minha academia, preparei um projeto que pudesse aplicar todo o meu aprendizado, a minha técnica, em benefício do público feminino. É uma obrigação ensinar as mulheres a se defenderem”, completou.

Kyra Gracie e Malvino Salvador arrow-options
Reprodução/Instagram/kyragracie
Kyra Gracie e Malvino Salvador

Mãe de Ayra, de 4 anos, e Kyara, de 2, frutos de seu relacionamento com o ator Malvino Salvador, a lutadora também ensina as filhas desde pequenas. “Tenho a responsabilidade de educar para a vida, passar valores para minhas filhas, dar o exemplo”, comentou.

É fato que as mulheres realmente precisam aprender a se defender desde pequenas e isso é fruto do mundo violento que vivemos. No início do ano, a lutadora brasileira do UFC Polyana Viana reagiu a um assalto no Rio de Janeiro depois de um ladrão tentar roubar seu celular. Ela deu socos e chutes no bandido e o deteve com um mata-leão.

Leia também: Brasileira do UFC reage a assalto no Rio de Janeiro com socos, chute e mata-leão

Kyra também já precisou usar o esporte para se defender ao longo da vida. “Sempre tem situações, mas o Jiu-Jitsu me trouxe ensinamentos muito preciosos em todos os campos. Ele me deu segurança para me defender, me ensinou a ter disciplina para correr atrás do que eu quero e a não desistir”, contou.

Kyra Gracie arrow-options
Reprodução/Instagram
Kyra Gracie


Além disso, na própria família de Kyra também aconteceu algo parecido: Elaine Caparróz, mãe de seu primo, foi espancada por um rapaz durante horas em seu apartamento, o que causou repercussão mundial. Para a lutadora, foi uma situação absurda. “Infelizmente a violência contra a mulher é real e ela acontece bem ao nosso lado.  Temos que nos previnir, evitar situações de risco e saber sair das agressões mais comuns de violência para não passar por situações como essa.

Leia também: Mãe do lutador Rayron Gracie é espancada brutalmente no Rio: "Um monstro"

Além do Jiu-Jitsu, Kyra e sua família também levam a alimentação muito a sério. Ou mais do que isso: "a alimentação é uma prioridade aqui em casa", comenta ela. "É algo que sempre fez parte da minha rotina e cuidar da alimentação é uma forma de auto cuidado e de amor. Não como enlatados, refrigerantes, biscoitos recheados por exemplo", completou.

Além disso, as filhas também se acostumaram a comer bem e aceitam legumes, verduras e legumes.  "Acho que a alimentação é um hábito e nós somos adeptos de uma vida saudável. Carrego sempre lanchinhos na bolsa, marmita para as crianças, frutinhas e castanhas", finalizou Kyra Gracie .