Kobe Bryant
Reprodução
Kobe Bryant

As causas do acidente de helicóptero que matou nove pessoas em Calabasas, na Califórnia, entre elas o ex-jogador de basquete Kobe Bryant e sua filha Gianna, começaram a ser reveladas nesta terça-feira (9).


Segundo um relatório elaborado por especialistas, a queda da aeronave foi provocada por uma "aparente violação dos padrões federais" no trajeto.

Os investigadores revelaram que o piloto Ara Zobayan estava proibido de voar para as nuvens, mas diante de uma manobra para evitar o mau tempo, ele ignorou a determinação e "provavelmente" ficou desorientado nas nuvens.

Você viu?

De acordo com Robert Sumwalt, presidente do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes, o piloto estava voando sob ordens de voo visual - ele precisava ser capaz de ser visto -, o que legalmente o proibia de penetrar as nuvens, mas mesmo assim quebrou a regra.

Sumwalt ainda explicou que "o conselho vai discutir se o piloto enfrentou pressão para completar o voo", quais eram suas expectativas de acordo com a política da empresa, se colocou pressão sobre si mesmo e quais ações poderia ter tomado para evitar voar nas nuvens.

Em junho passado, o órgão já havia informado que Zobayan tinha dito aos controladores de tráfego aéreo que seu helicóptero estava saindo de nuvens quando na verdade estava descendo imediatamente antes de bater em uma encosta perto da cidade de Calabasas.

A partir disso, as medidas tomadas pelo piloto foram o foco da investigação. Um exame dos motores do helicóptero não encontrou nenhuma evidência de "falha mecânica catastrófica". Além disso, a aeronave não tinha dispositivos de gravação de "caixa preta".

No dia 26 de janeiro de 2020,  Kobe Bryant e outras oito pessoas morreram no acidente que aconteceu na cidade de Calabasas, na Califórnia. A morte do ídolo do Los Angeles Lakers chocou o mundo, tendo ele recebido milhares de homenagens pelas redes sociais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários