Tamanho do texto

Golden State varreu o Cleveland Cavaliers na decisão da NBA e conquistou o 3º título em quatro anos; confira o que falaram os craques após a partida final

O Golden State Warriors conquistou o título da NBA 2017/18 após vencer o Cleveland Cavaliers por 108 a 85 e fechar a série em 4 a 0, na noite desta sexta-feira, confirmando que hoje é o melhor time de basquete do mundo. Assim, a franquia californiana chegou ao sexto título, sendo três conquistados nos últimos quatro anos, e se igualou ao Chicago Bulls como terceiro maior vencedor, ficando atrás somente de Los Angeles Lakers, com 16, e Boston Celtics, que tem 17 troféus.

Leia também: Stephen Curry, do Warriors, é o maior arremessador da história da NBA?

Jogadores do Golden State Warriors levantam o troféu Larry O'Brien de campeão da NBA pelo segundo ano consecutivo
Reprodução/Twitter/NBA
Jogadores do Golden State Warriors levantam o troféu Larry O'Brien de campeão da NBA pelo segundo ano consecutivo

Com 20 pontos, 12 rebotes e 10 assistências no jogo 4, após atuação monstruosa de 43 pontos no jogo 3 e outras consistentes nos jogos 1 e 2, quando anotou 26 pontos em cada um deles, Kevin Durant foi eleito o MVP das Finais da NBA pelo segundo ano consecutivo. Ele superou o seu companheiro de equipe Stephen Curry, que foi muito bem em três dos quatro jogos, mas acabou tendo atuação apagada no jogo 3.

Após a partida e fazendo muita festa com seus companheiros, o camisa 35, que é sempre tímido e de poucas palavras, foi questionado justamente sobre o prêmio recebido das mãos da lenda Bill Russell, que dá seu nome ao troféu, e preferiu destacar a importância do coletivo ao invés do individual.

Kevin Durant posa com os troféus de campeão e de MVP das Finais
Reprodução/Twitter
Kevin Durant posa com os troféus de campeão e de MVP das Finais

"Importa? Isso realmente importa. Eu não me importo. A única coisa que interessa é que conquistei meu segundo campeonato no Warriors. O que importa são os títulos. Sou um jogador de basquete pra isso. E nós temos um vestiário de clima muito bom. Estou falando de companheirismo verdadeiro e um gosta de ver o outro bem sucedido", afirmou e continuou dizendo sobre o time, o qual chegou em 2016 e conquistou dois títulos em duas temporadas.

"Me sinto muito bem por estar em um time como esse. E meu objetivo é apenas melhorar. Nada além do que melhorar jogo a jogo, dia a dia, temporada a temporada. Sou muito grato ao basquete, que mudou a minha vida e a vida de toda a minha família. Essa liga me ensina e me ensinou muito", acrescentou.

Por fim, o craque de 29 anos novamente preferiu destacar o sucesso de todo o grupo chefiado pelo técnico Steve Kerr e já projetou a próxima temporada com a camisa da franquia de Oakland.

"Estou muito feliz por ver caras como Nick Young, Quinn Cook. Esse foi o primeiro título deles! E no ano que vem, quero muito ver como os jovens do nosso time vão evoluir. Mal posso esperar pra ver de perto Jordan Bell se tornar um jogador melhor, quero ver Quinn Cook se tornar um jogador melhor também. E estou animado pra ver as novas armadilhas que teremos na próxima temporada. Mal posso esperar", finalizou.

Curry satisfeito

Mesmo tendo a companhia de Kevin Durant, Stephen Curry é o líder e principal jogador do Warriors. Ele chegou quando a franquia nem sequer pensava em se tornar dominante na liga, mas ganhou a companhia de três dos melhores atletas e agora soma títulos. Além dos da NBA, o armador tem também dois MVPs da temporada regular, mas não conseguiu levar o MVP das Finais, o que para ele não faz tanta diferença.

Stephen Curry e Steve Kerr: parceria entre jogador e técnico de muito sucesso
Reprodução/Twitter/NBA
Stephen Curry e Steve Kerr: parceria entre jogador e técnico de muito sucesso

"Há um sentimento de orgulho em cima disso (prêmio de MVP das Finais), certamente. Mas quando me olho no espelho depois de cada jogo, depois de cada temporada, sei que joguei o melhor que pude, ou pelo menos dei todo o meu esforço, com as melhores intenções. Ver o que KD (Kevin Durant) está fazendo nesses últimos dois anos é incrível, e ele merece esses dois títulos seguidos de MVP das finais. Eu serei o maior torcedor dele sempre que conseguir essas conquistas. E eu estou muito feliz. Quando eu for dormir, não vai ser hoje (risos), vou colocar a cabeça no travesseiro e pensar: ‘tive um grande ano, fiz uma grande série final e sou campeão'", afirmou o camisa 30.

Questionado ainda se após se confirmar como o melhor time de basquete na atualidade ao conquistar três títulos em quatro finais, o Golden State pode ser considerado um dos maiores da história da NBA, Curry fez o que muito praticou em quadra durante toda a temporada: driblou.

"Não tenho nenhuma ideia de resposta pra isso. Sei que o que conseguimos realizar é realmente significativo e algo que poucos jogadores puderam experimentar. E em qualquer lugar que queiram nos colocar na história da NBA, nessa conversa sobre dinastia, o fato é fui por três vezes campeão da liga", ponderou.

Leia também: Astro do Cavs, LeBron James fala sobre Warriors: "Eles são melhores que a gente"

LeBron lesionado e futuro indefinido

Se há algo que ficará marcado pelo lado do derrotado Cleveland Cavaliers é a atuação monstruosa de LeBron James , melhor jogador do mundo, mas que não conseguiu parar o Warriors para conquistar o segundo título da franquia.

LeBron James apareceu com a mão enfaixada após perder a final e revelou lesão
Reprodução/Twitter
LeBron James apareceu com a mão enfaixada após perder a final e revelou lesão

Conhecido como Rei, LeBron fez valer o apelido durante sua 15ª temporada e termina com média de 34 pontos, 9,1 rebotes e 9 assistências de média. Na série final, ele bem que tentou, fez incríveis 51 pontos no jogo 1, 29 no jogo 2, 33 no jogo 3 e 23 no último. Mas foi justamente após a derrota na prorrogação da primeira partida que ele fez algo que o atrapalhou: socou uma prancheta e lesionou a mão direita.

"Foi depois do Jogo 1. Sofremos um abalo emocional, por muitos motivos. Era muito importante esse primeiro jogo. E a maneira como jogamos, as marcações de faltas que foram feitas ao longo do jogo. Eu sentia muito em desperdiçar uma chance como essa, fora de casa, contra o Golden State e deixei essa emoção tirar o melhor de mim. Ah, e praticamente joguei as outras três partidas da série com uma mão quebrada. Mas as coisas são como são", afirmou em entrevista após a partida decisiva.

Com a grande possibilidade de deixar pela segunda vez o Cavaliers, LeBron pode ter jogado sua última partida com a camisa da franquia de Ohio. Esse, inclusive, foi o principal tema das perguntas dos jornalistas e o camisa 23 respondeu em tom nostálgico, deixando tudo em aberto.

"Voltei para Cleveland, pra finalizar um trabalho inacabado (conquista de um título), pra fazer parte de um time que foi campeão há dois anos, do jeito bonito que foi. O título que tivemos aqui, nunca vou me esquecer. Honestamente, todos vamos lembrar disso. Isso tirou a cidade de Cleveland de uma seca de 50 anos (jejum de títulos da cidade nas principais ligas esportivas dos Estados Unidos). Então acho que vamos lembrar disso na história do esporte", afirmou.

"Nesse momento, eu não faço ideia (se vai embora). A única coisa que eu sempre considerei é a minha família. Vendo que meus meninos já estão em uma outra idade, eles eram muito novos na última vez que tomei essa decisão de mudar, há 4 anos. Eu tinha um adolescente, um pré-adolescente e uma menininha naquele momento. Mas vou sentar e considerar todas as possibilidades. E a minha família é uma parte gigante nisso. Mas eu não tenho uma resposta pra isso, agora", completou LeBron.

Os campeões

A temporada regular do Golden State Warriors foi a 'pior' desde que a dinastia começou. terminaram na segunda colocação da Conferência Oeste com 58 vitórias e 24 derrotas, muito distante do recorde de 2015/16 de 73 triunfos e apenas nove resultados negativos. Além disso, o time de Steve Kerr, que agora soma oito títulos, sendo cinco como jogador e três como técnico, sofreu com lesões.

Mesmo assim, além de conquistar o campeonato, o Warriors liderou a NBA em pontos: 110.4; ficou em quatro em rebotes: 45; em segundo em assistências: 26; em quatro em tocos: 5.8; foi o que mais fez cestas de três pontos nos playoffs: 235; o que mais deu assistências em um jogo: 36; o que mais pegou rebotes em um jogo: 61; entre outros recordes.

Leia também: NBA cresce no país e Chicago Bulls segue como time preferido, aponta pesquisa

O grande desafio para a próxima temporada é, além de manter os quatro All-Stars, seguir com o banco poderoso. O principal adversário deve ser novamente o Houston Rockets, que foi o melhor no Oeste na temporada e perdeu as finais de conferência por 4 a 3 e com um dos principais jogadores lesionados dos dois últimos jogos. Além, é claro, da nova equipe de LeBRon James ou até mesmo o Cleveland, caso ele permaneça.

A verdade é que o Golden State Warriors, gostem ou não, está na história da NBA como um dos maiores times já vistos. Resta saber até onde pode ir Stephen Curry, Kevin Durant, Klay Thompson, Draymond Green e companhia. E pelas últimas quatro temporadas, todos vimos que é muito longe. Veja abaixo fotos da festa .

🍾 Inside the @warriors celebration! 🏆 #ThisIsWhyWePlay

Uma publicação compartilhada por NBA (@nba) em


    Leia tudo sobre: nba