Lance

Ações da Fórmula 1 caem US$ 300 milhões por conta do coronavírus arrow-options
F1/DIVULGAÇÃO
Ações da Fórmula 1 caem US$ 300 milhões por conta do coronavírus

O surto de coronavírus segue se espalhando e já causou grandes problemas em todo o mundo. Além das mortes e disseminação rápida do vírus, atingindo nas últimas semanas fortemente a Itália com 15 mortes registradas, vários eventos esportivos foram cancelados à medida que o coronavírus não é contido.

Leia também: Coronavírus: F1 discute medidas diante do surto e mudanças no calendário

Os problemas não atingem somente o estilo de vida e as restrições das pessoas, mas está causando enormes prejuízos na economia global. O valor das ações está caindo em todo o mundo e com a Fórmula 1 também não foi diferente.

A corrida na Austrália foi confirmada, mas com a perspectiva não confirmada da Ferrari ficar de fora –  conforme apurou a F1Mania nesta segunda-feira – enquanto Bahrein e Vietnã estão cada vez mais em dúvidas depois os cancelamentos das etapas da MotoGP no Catar e Tailândia, além do adiamento/ cancelamento do GP da China e do ePrix de Sanya.

Nesta segunda-feira à tarde o preço das ações da FWONK, participação do ‘Formula 1 Group’ na Nasdaq, registrou uma grande queda. Segundo o Formula Money, o preço das ações caiu quatro por cento, algo perto dos US$ 300 milhões .

“Nas últimas horas, o preço das ações da F1 caiu quase quatro por cento, uma queda de US $ 300 milhões no seu valor. O FWONK caiu quase US $ 2 bilhões em fevereiro e agora está com preços da época de 2017! Os investidores estão vendo eventos esportivos sendo cancelados enquanto a F1 ainda pretende correr no Vietnã”, diz a postagem no twitter.

    Veja Também

      Mostrar mais