Tamanho do texto

Líder do campeonato largou em segundo e conseguiu ganhar com folga

Lance

O líder do campeonato, Lewis Hamilton, voltou às vitórias neste domingo no Grande Prêmio da Rússia quebrando a sequência de três vitórias dos seus rivais da Ferrari .

Leia também: Lewis Hamilton vence GP da Hungria de Fórmula 1 de forma emocionante

Hamilton comemora vitória no GP da Rússia de F1 arrow-options
Reprodução/Twitter/F1
Hamilton comemora vitória no GP da Rússia de F1


Hamilton largou em segundo, mas foi superado por Sebastian Vettel antes da primeira curva enquanto o alemão aproveitava um vácuo proposital concedido pelo pole position Charles Leclerc, como parte da estratégia caótica da Ferrari.

Após algumas voltas, Leclerc reivindicou sua posição pelo rádio da equipe. “Eu fiz o combinado, está na hora de devolver minha posição”. Vettel não concedeu e alegou que o monegasco “não estava próximo o suficiente”.

As posições se mantiveram até as paradas nos boxes quando a Ferrari chamou Leclerc primeiro, para que o monegasco e dono real da posição reassumisse a liderança no ‘undercut’.

Leclerc parou e voltou atrás das Mercedes – com a equipe alemã em estratégia diferente largando de macios – enquanto Vettel ficou na pista algumas voltas. Saindo de sua parada nos boxes, a SF90 de Vettel apagou forçando o abandono do piloto e chamando o Safety Car para retirada de sua Ferrari.

Leia também: Lewis Hamilton encerra ano com vitória em Abu Dhabi e quebra recorde 

Hamilton aproveitou e fez sua parada, colocando os macios e voltando na liderança até receber a bandeira quadriculada sem ser ameaçado.

Leclerc desistiu da P2 na pista e retornou aos boxes para colocar os macios, depois que um novo Safety Car foi chamado para retirar a FW41 de George Russell das proteções, voltando atrás de Valtteri Bottas.

O piloto da Ferrari tentou passar Bottas pela segunda posição no pódio nas últimas voltas, no entanto, ele não conseguiu passar, permitindo que a Mercedes garantisse sua 11ª vitória da temporada, a oitava dobradinha.

Max Verstappen terminou no quarto lugar depois de sofrer uma penalidade no grid por assumir um novo motor de combustão interna (ICE), enquanto Alexander Albon escalou o grid e ganhou 14 posições para chegar na P5 – depois de largar dos boxes.

Carlos Sainz voltou a pontuar, depois de algumas corridas difíceis, conquistando a sexta posição com a McLaren, enquanto seu companheiro de equipe Lando Norris foi o oitavo – com a Racing Point de Sergio Perez intercalando a dupla.

Kevin Magnussen recebeu uma penalidade de tempo por violar os limites do circuito na Curva 2, mas ainda conseguiu garantir os primeiros pontos da Haas desde o Grande Prêmio da Alemanha, terminando em nono na tabela de tempos.

Nico Hulkenberg, que não tem vaga garantida na temporada 2020 da F1, conquistou o último ponto disponível – sua terceira vez consecutiva entre os dez primeiros.

Leia também: Lewis Hamilton vence GP da Hungria de Fórmula 1 de forma emocionante

O companheiro de equipe de Hulkenberg, Daniel Ricciardo, não conseguiu terminar a corrida depois de uma colisão com Romain Grosjean e Antonio Giovinazzi na primeira volta.

A Fórmula 1 retorna em duas semanas com o Grande Prêmio do Japão, em Suzuka, 17ª etapa da temporada 2019 da F1. A F1Mania estará AO VIVO e em TEMPO REAL com todas as informações da F1 no GP japonês.