Tamanho do texto

Fundador da escuderia queria se casar com a viúva de Luigi Musso, piloto morto em um acidente de corrida no circuito de Reims, na França, em 1958

Um colecionador estrangeiro arrematou na última segunda-feira, por 36 mil euros (aproximadamente R$ 131 mil), as cartas de amor que o fundador da Ferrari , Enzo Ferrari , enviou a Fiamma Breschi , viúva do piloto Luigi Musso, morto em um acidente de corrida no circuito de Reims, na França, em 1958.

Leia também: Homem alemão ameaça matar filho de Schumacher e exige mais de R$ 3 milhões

A coleção contém 142 cartas escritas entre 1958 e 1970, e o leilão, batizado de "Fiamma Breschi, a senhora da Fórmula 1 ", aconteceu em Florença, na Itália, organizado pela Maison Bibelot.

As cartas que Enzo Ferrari enviava para Fiamma Breschi, viúva do piloto Luigi Musso, foram leioladas
Divulgação
As cartas que Enzo Ferrari enviava para Fiamma Breschi, viúva do piloto Luigi Musso, foram leioladas

Após perder o marido, Breschi, ainda muito jovem, esteve a ponto de tirar a própria vida. Para ajudá-la a seguir em frente, Enzo Ferrari lhe ofereceu um cargo dentro da escuderia como assessora de imagem.

Leia também: Ferrari homenageia Gilles Villeneuve 35 anos após sua morte

Ela aceitou a proposta e começou a trabalhar na Ferrari, mas não esperava que fosse se apaixonar por seu chefe, que era casado e muito mais velho. A história não teve um final feliz, já que Breschi morreu em 2015, em Florença, sem se casar novamente, mas deixou centenas de memórias ligadas à "época de ouro" da Fórmula 1.

"Ferrari propôs casamento a Fiamma e tentou, por diversas vezes, se separar de sua esposa. Mas, assim como Laura [mulher de Ferrari], Fiamma não cedeu, talvez porque ambas acreditassem que o empresário tinha uma vontade desesperada de se sentir jovem", contou à ANSA o biógrafo Luca Dal Monte, autor do livro "Ferrari Rex".

Leia também: Garotinho chora ao ver Kimi Raikkonen fora de corrida, mas ganha recompensa

As cartas

O lote mais cobiçado no leilão, isto é, as cartas foi adquirido por um estrangeiro fanático por objetos ligados ao mundo do automobilismo. Também foram vendidos um anel de ouro que Breschi ganhou do ex-marido e conservou por toda a vida, a medalha de uma corrida vencida por Musso em 1950 e um solitário dado por Ferrari e arrematado por 19 mil euros Um dos documentos revela que Breschi, no fim dos anos 1960, foi a inspiração para o fundador da escuderia introduzir a cor "amarelo fly" nos carros da marca.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.