Alessandro Zanardi durante prova
Divulgação
Alessandro Zanardi durante prova

O ex-piloto Alessandro Zanardi segue a luta para se recuperar em um hospital da Itália.

Segundo o último boletim médico, divulgado nesta terça-feira pelo Hospital Santa Maria alle Scotte, em Siena, o piloto deve permanecer em como induzido por pelo menos mais 10 dias, com uma mudança no quadro ocorrendo somente na próxima semana.

Segundo o Hospital, Zanardi continua estável do ponto de vista cardiorrespiratório e metabólico, mas seguirá sedado.“Eventuais reduções da sedação para avaliação do estado neurológico serão consideradas a partir da próxima semana", diz o comunicado do hospital. No último sábado, os médicos haviam dito que queriam retirá-lo do coma no início desta semana.

Zanardi está há quatro dias na UTI e não tem risco de morte no momento, mas seu quadro neurológico ainda é considerado "muito grave". Possíveis sequelas, porém, só poderão ser avaliadas quando o ex-piloto deixar o coma.

Segundo o neurocirurgião que operou Zanardi, a lesão sofrida pelo atleta paralímpico é menos grave do que a que o também piloto Michael Schumacher sofreu em 2013, quando bateu a cabeça esquiando com a família nos Alpes Franceses.

Isso porque, o italiano não sofreu uma lesão axonal difusa, quadro do alemão no acidente. Neste tipo de lesão, o cérebro se move, batendo contra a parede intracraniana com violência. Com isso, é causado um dano muito extenso em todo o córtex cerebral, do qual dificilmente o órgão se recupera para exercer novamente funções cognitivas e motoras.

“O dano axonal parece ter sido evitado, mas é muito cedo para um resultado conclusivo, revelou Oliveri, que descarta a lesão axonal pelo fato de o impacto com o caminhão ter sido na face de Zanardi, em vez de em outras partes da cabeça, como no caso de Schumacher.

Apesar do certo otimismo, Olivieri diz que ainda é cedo para entender quais as chances de Zanardi voltar à rotina. “Cedo demais para dizer. Por enquanto, o fato de o paciente estar estável é a primeira boa notícia. O máximo podemos fazer agora é esperar”, conclui.

O piloto participava de um evento de paraciclismo , quando perdeu o controle da handbike em uma curva, capotou duas vezes e bateu em um caminhão com reboque. Ele sofreu múltiplas fraturas no crânio por causa da colisão. As causas do acidente e possíveis culpados ainda estão sendo investigados. 

    Veja Também

      Mostrar mais