Publicidade
Publicidade - Super banner
Lutas
enhanced by Google
 

José Aldo limpa categoria e fica livre para unificar cinturões

Dana White diz que brasileiro está livre para disputar o título dos leves, mas o futuro de Aldo ainda está indefinido

Hilton Mattos e Rodrigo Farah, no iG Rio de Janeiro |

UFC
José Aldo deixou poucos rivais sobrando nos pesos penas do UFC
Está ficando cada vez mais difícil encontrar novos desafiantes para José Aldo. Com a vitória sobre Chad Mendes no UFC Rio, o brasileiro eliminou o último grande rival do peso pena do UFC. Agora, ele ganhou a liberação do presidente Dana White para disputar o título da categoria de cima e unificar dois cinturões da entidade.

Veja também: Aldo dá show, mantém cinturão e se joga na torcida do UFC Rio

Getty Images
Aldo nocauteia Chad Mendes e vai em direção à torcida brasileira
“As pessoas me perguntam sobre ele subir de categoria toda hora. Isso depende dele. Não teria nenhum problema se ele subisse para brigar pelo título contra Frankie Edgar ou ficasse no peso atual. É uma escolha dele”, ressaltou Dana White.

Confira ainda: Escapada de Aldo para torcida pode criar mal-estar com Flamengo

Com um total de 14 vitórias consecutivas no peso pena – sendo três no UFC e oito no extinto WEC – José Aldo já soma seis anos de invencibilidade na categoria. Neste meio tempo, ele encarou e derrotou a maioria das estrelas dos penas, como Mike Brown, Urijah Faber, Kenny Florian e o próprio Chad Mendes.

Leia também: Vitor Belfort leva público ao delírio com vitória sobre Johnson

No último sábado, ele repetiu a boa forma ao nocautear o norte-americano no último segundo do primeiro round. A performance do atleta do Flamengo rendeu uma série de elogios de Dana White, que também admitiu não ter ideia sobre quem poderia ser seu próximo adversário.

“O Aldo estava fantástico [no UFC Rio]. Dava para perceber que estava em grande forma e com a cabeça no lugar, muito focado. Ele derrotou um oponente incrível e com certeza está entre os melhores lutadores do mundo entre todos os pesos”, avaliou o chefão do UFC.

Enquanto isso, José Aldo e seu treinador Dedé Pederneiras não manifestam publicamente grande desejo de subir de categoria. O lutador diz que a decisão não é sua, enquanto o técnico afirma que só aceitaria o desafio se fosse diretamente uma superluta contra o campeão Frankie Edgar.

Veja ainda: Irritado, Dana White demite rival de Vitor Belfort após derrota no Rio

“Ele não vai subir por enquanto. A não ser que seja para disputar o cinturão [dos leves]. Ai tudo bem, ele sobe. Agora, se for para entregar o cinturão [dos penas] e começar do zero, esquece. Se depender de mim, não vai não”, ponderou o treinador do campeão.

Uma das possibilidades de rivais de Aldo no peso pena seria o também brasileiro Diego Brandão, vencedor do reality show “The Ultimate Fighter” nos Estados Unidos. Mas o presidente do UFC esfriou a possibilidade de um combate entre os dois acontecer tão cedo.

“O Diego tem muito trabalho a fazer antes de enfrentar o José Aldo. O Aldo é um dos melhores do mundo em qualquer peso. Já o Diego veio muito bem, mas caminhos a seguir ainda”, concluiu o dirigente. Vale lembrar que o japonês Hatsu Hioki é outro adversário em potencial no peso pena.

Leia tudo sobre: José AldoUFC RioUFCDana WhiteFlamengo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG