Tamanho do texto

Thomas Tuchel também revelou pedido do camisa 10 e ansiedade para jogar após o período de férias: "Tempo todo pedindo para entrar"

O Campeonato Francês começa neste fim de semana e a primeira partida do atual campeão, Paris Saint-Germain , será neste domingo diante do Caen. E o novo treinador da equipe, Thomas Tuchel , elogiou muito Neymar, principal jogador do time francês.

Leia também: Ídolo do PSG alfineta Neymar e diz que brasileiro tem menos carisma do que Ibra

Thomas Tuchel, técnico do PSG, elogiou muito Neymar, camisa 10 do time francês
Divulgação/PSG
Thomas Tuchel, técnico do PSG, elogiou muito Neymar, camisa 10 do time francês

Tuchel ressaltou as virtudes e também a importância de Neymar para o PSG e para os companheiros de time, como Mbappé, destaque pela França na Copa do Mundo que terminou em julho. Já o atacante brasileiro foi muito criticado por sua participação no Mundial.

"Está totalmente claro que ele é meu jogador chave, é um dos melhores do mundo e um artista. E há várias maneiras de ser um líder. No caso de Ney, ele é quando está feliz, por sua criatividade, por ser uma inspiração para os outros, pelos riscos que assume", afirmou o treinador em entrevista coletiva.

O técnico alemão lembrou, no entanto, que existem lideranças no elenco parisiense, além do camisa 10: "Não há só um líder. Temos vários ombros onde repousa a equipe, e Ney é um deles", disse.

Leia também: Patrocinadora usa CR7 para provocar Neymar: "Sabe porque eu nunca caio?"

Ansiedade de Neymar

Neymar, Thiago Silva e Marquinhos com o troféu da Supercopa da França
Divulgação/PSG
Neymar, Thiago Silva e Marquinhos com o troféu da Supercopa da França

O substituto de Unai Emery, que foi para o Arsenal, revelou também sobre a ansiedade de Neymar para entrar em campo após as férias. Na Supercopa da França, o craque entrou no segundo tempo em partida que o  PSG venceu o Monaco por 4 a 0, mas a ideia do comandante era poupá-lo.

“Ele ficou o tempo inteiro (durante a partida) me pedindo: 'deixa eu jogar, deixar eu jogar'. Eu pedia tranquilidade, mas teve uma hora que falei: 'Ok, você vai entrar, mas joga pelo meio-campo para não se cansar muito'”, apontou.

“Foi uma medida pontual por conta da necessidade de preservar o Neymar . Aberto pela esquerda requer uma intensidade maior, com mano a mano, e falei para que iria jogar por ali no meio para não se cansar tanto”, acrescentou Tuchel.

    Leia tudo sobre: futebol