Tamanho do texto

Técnico da seleção feminina, que nunca teve grande amizade com Bernardinho, ainda elogiou o bicampeão olímpico: "Grande referência"

O técnico Zé Roberto Guimarães lamentou a saída de Bernardinho
William Lucas/Inovafoto/CBV
O técnico Zé Roberto Guimarães lamentou a saída de Bernardinho

A última semana ficou marcada pela saída, após 16 anos, de Bernardinho do comando técnico da seleção masculina de vôlei . E mesmo com uma relação que nunca foi das melhores, o técnico da seleção feminina brasileira, José Roberto Guimarães, lamentou o encerramento do ciclo do bicampeão olímpico como treinador.

"Não ver o Bernardo dirigindo a seleção masculina é uma coisa difícil neste momento. A gente sabe que um dia ia chegar, mas não esperava que fosse desta maneira", disse Zé Roberto em entrevista ao programa Esporte Espetacular, da TV Globo.

LEIA MAIS: José Roberto Guimarães segue como treinador da seleção feminina de voleibol

A falta de amizade entre os dois, porém, não fez com que o também bicampeão olímpico, só que com as mulheres, não elogiasse Bernardinho como treinador.

"O Bernardo é uma grande referência para o voleibol brasileiro e mundial pelo seu estilo e maneira de ser, seu trabalho e dedicação, de sempre atingir e fazer o melhor. Todo o trabalho o dele foi norteado por este orgulho de representar o Brasil e fazer com que o Brasil esteja entre os melhores. É uma referência para todos nós. Aprendemos muito com ele", acrescentou.

LEIA MAIS: Campeão olímpico, Emanuel entra para o 'Hall da Fama' do vôlei mundial

Quem também enalteceu Bernardo, que seguirá trabalhando como um "conselheiro" na Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), foi Carlos Arthur Nuzman, ex-presidente da entidade e atual mandatário do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

"Ele tem lealdade, honestidade e sabe trabalhar como poucos. O que o difere de muitos e da maioria é que ele não acereditava em perder. Lutava até o último momento pela derrota", disse Nuzman.

CARREIRA

Assim como Bernardinho, Zé Roberto tem uma vida dedicada ao voleibol e outra coincidência os une: treinar as duas seleções do Brasil. Com os homens, ele conquistou o ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, além de uma Liga Mundial, um ano depois. Mas foi com as mulheres que ele brilhou.

Zé Roberto tem sete títulos do Campeonato Sul-Americano (2003, 2005, 2007, 2009, 2011, 2013 e 2015), oito do Grand Prix (2004, 2005, 2006, 2008, 2009, 2013 e 2014 e 2016). Mas as duas medalhas de ouro consecutivas em Jogos Olímpicos, Pequim 2008 e Londres 2012, o deixaram como um dos maiores treinadores do esporte coletivo do mundo.