Tamanho do texto

Dupla jogará com o italiano Marco Cecchinato e o húngaro Marton Fucsovics em busca da primeira vitória no Grand Slam de Paris

Marcelo Melo e Lukasz Kubot entram em quadra nesta quarta-feira para a estreia em Roland Garros , segundo Grand Slam do ano, que está sendo disputado em Paris, na França, e encerra a sequência de seis torneios da dupla no saibro europeu. O mineiro Melo e o polonês Kubot jogam na capital francesa como cabeças de chave número 1 e nesta primeira rodada enfrentam o italiano Marco Cecchinato e o húngaro Marton Fucsovics, por volta das 11h (horário de Brasília), na quarta partida da programação do dia na quadra 9.

Leia também: Marcelo Melo é escolhido o Melhor Atleta do Ano do Prêmio Brasil Olímpico 2017

Marcelo Melo e Lukasz Kubot são cabeças de chave número 1 em Roland Garros
Divulgação
Marcelo Melo e Lukasz Kubot são cabeças de chave número 1 em Roland Garros

“Temos feito bons treinos desde que chegamos aqui, na semana passada. Estamos bem empolgados com a maneira como temos jogado. Como sempre, uma estreia não é fácil. Vamos ter dois adversários que estão jogando muito bem. Temos de continuar assim, bem preparados, para poder ter boas chances de conseguir dar esse primeiro passo”, afirma Melo .

Melo tem um título em Roland Garros, conquistado em 2015, quando jogava com o croata Ivan Dodig - um dos dois Grand Slam da sua carreira, tendo sido, depois, campeão do torneio de Wimbledon em 2017, com Kubot. No ano passado, Marcelo e Kubot pararam na segunda rodada em Paris.

Leia também: Serena Williams é a única mulher no Top 100 dos atletas mais bem pagos do mundo

No ranking mundial individual de duplas, Marcelo ocupa atualmente a quarta colocação, com Kubot em terceiro. Eles empatam em número de pontos, 7.050, mas pelo primeiro critério de desempate - torneios disputados ao longo de 52 semanas -, o mineiro tem uma competição a mais - 25 contra 24 de seu parceiro polonês. O líder do ranking é o croata Mate Pavic, com 7.130 pontos, seguido do austríaco Oliver Marach, com 7.080. O mineiro é o recordista brasileiro em número de semanas no topo do ranking ao longo da carreira, com 56.

Em 2018, até agora, foram 23 jogos e 14 vitórias - quatro em Sidney, com o título do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, e uma no Masters 1000 de Roma, na Itália.

Recordes em 2018

Neste ano, o brasileiro passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 29. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira

Entre os 29 títulos de Marcelo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Com a conquista em Sidney, pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

Leia também: Marcelo Melo e Kubot são eliminados do Masters 1000 de Monte Carlo

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Melo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.