Nory
Reprodução
Nory

Arthur Nory não teve um bom desempenho no primeiro dia das Olimpíadas de Tóquio, na madrugada deste sábado, e acabou eliminado precocemente .

Após a participação negativa nos Jogos, o ginasta fez um desabafo sobre os ataques que costuma sofrer na Web sempre que se aproxima de uma competição. A maioria deles faz referência a um ato racista que o atleta cometeu em 2015.

"Eu tive muito medo, fiquei muito acuado para tudo. Eu estou abrindo meu coração de verdade. Tudo o que aconteceu na minha história desde o episódio de racismo de 2015, que vem à tona sempre que eu apareço. Então é um processo de amadurecimento diário, de entender e melhorar. A gente tem que buscar esses erros e melhorar. Assim como no esporte. Mas, no esporte, essa chance é só de quatro em quatro anos. Mas é aprender com isso e melhorar. Para Paris, fazer diferente", disse Nory à TV Globo.

Você viu?

Nory, no entanto, garantiu que as ofensas não influenciaram no resultados ruins deste sábado.

"Não foi por isso, chega um momento que... Eu sempre tive muito medo, muito medo, desde o episódio do racismo, medo de falar, medo de assumir, medo de tudo. Fico sempre acuado, pensando em colocar o sorriso no rosto, brigando comigo para isso. E nestes últimos anos vêm isso muito forte, e no momento que você desabafa, assume, vem muita paulada. Venho tomando muita paulada agora e não vou mais me esconder. Vou assumir essa responsabilidade. É procurar melhorar todos dias", afirmou.

"Foi ano difícil, tive burnout, depressão, tive que parar um tempo, voltar, focar na barra. E estou aqui em mais uma Olimpíada. Atleta, ser humano, a gente erra. Treinei bastante, foi um ano complicado, mas eu me entreguei. Fui até o fim brigando, ajudando a equipe no que eu podia", finalizou o ginasta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários