Tamanho do texto

Os juízes não poderão participar de nenhum evento organizado pela Associação até que a entidade conclua suas investigações sobre as denúncias

Vasiliy Levit (à esquerda) ficou com a prata no Rio 2016 após ser superado pelo russo Evgeny Tishchenko e reclamou da arbitragem. Associação investigará
Divulgação
Vasiliy Levit (à esquerda) ficou com a prata no Rio 2016 após ser superado pelo russo Evgeny Tishchenko e reclamou da arbitragem. Associação investigará

A Associação Internacional de Boxe Amador (Aiba) suspendeu preventivamente os 36 árbitros que participaram das competições de pugilismo nos Jogos Olímpicos Rio 2016, quando houve muitas acusações de manipulação de resultados por parte dos derrotados.

LEIA MAIS:  McGregor x Montanha? Lutador treina com ator de "Game of Thrones". Assista

Os juízes não poderão participar de nenhum evento organizado pela Associação Internacional de Boxe Amador até que a entidade conclua suas investigações sobre as denúncias. "Os resultados de um inquérito atualmente em curso permitirão à Aiba avaliar plenamente quais ações tomar", diz um comunicado da entidade.

Entre as lutas sob suspeita, pelo menos duas envolvem o russo Evgeny Tishchenko, medalhista de ouro na categoria 91 kg. Tanto o cazaque Vasiliy Levit, que ficou com a prata, quanto o italiano Clemente Russo, eliminado nas quartas de final pelo boxeador da Rússia, reclamaram bastante da arbitragem.

LEIA MAIS:  Nuzman é reeleito presidente do COB pela sexta vez, mas pleito pode ser anulado

"Até quem entende de boxe viu que eu venci. No segundo round, eu consegui encaixar entre sete e 10 golpes, e ele encostou em mim só de raspão", disse o russo logo após o combate. O grande número de acusações também pode ser reflexo da mudança no sistema de pontuação do boxe olímpico.

Antes, o público acompanhava em tempo real a evolução dos pontos de cada boxeador, mas a partir dos Jogos do Rio o resultado passou a ser anunciado apenas ao fim de cada round, o que causou mais irritação por parte da torcida perdedora.

BRASIL NO BOXE OLÍMPICO 

Vale lembrar que foi no Rio de Janeiro que o Brasil levou um representante ao lugar mais alto do pódio do boxe olímpico pela primeira vez.  Após a prata de Esquiva Falcão e os bronzes de Yamaguchi Falcão e Adriana Araújo, em Londres 2012, e o terceiro lugar conquistado por Servílio de Oliveira, no já distante México 1968, foi a vez de Robson Conceição brilhar. Por decisão unânime dos árbitros, ele derrotou o francês Sofiane Oumiha na categoria dos pesos ligeiros (até 60 kg) . Com essa luta, sem dúvidas, a Associação não precisa se preocupar.

Robson exibe inédita medalha de ouro para o Brasil em Jogos Olímpicos
Reprodução/Twitter
Robson exibe inédita medalha de ouro para o Brasil em Jogos Olímpicos


*Com Ansa

    Leia tudo sobre: luta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.