Tamanho do texto

País chegou a 43 medalhas conquistadas na edição do Rio 2016, igualando edição passada, e está perto do recorde de Pequim , 47 pódios

André Sá e Phelipe Rodrigues ganharam prata e bronze, respectivamente, nos 100m livre
Reprodução/Twitter
André Sá e Phelipe Rodrigues ganharam prata e bronze, respectivamente, nos 100m livre

A Paralimpíada do Rio 2016 só acaba no próximo domingo, dia 18, e o Brasil já está fazendo história. No sexto dia de competições, o país chegou a 43 medalhas ganhas e igualou número alcançado na edição de quatro anos atrás, em Londres 2012. A tendência é o país fazer a melhor campanha de sua história na edição em casa, ultrapassando as 47 medalhas conquistadas em Pequim, 2008, algo que já era planejado antes do início da Paralimpíada.

Confira agenda Brasil dessa quarta-feira de Paralimpíada

Nessa terça-feira (13) de Jogos, atletismo e natação se destacaram com algumas conquistas. Andre Brasil e Phelipe Rodrigues fizeram dobradinha nos 100m livre. O primeiro levou a prata, enquanto o segundo terminou com bronze.

Evânio da Silva faz história no halterofilismo
CPB/Divulgacao
Evânio da Silva faz história no halterofilismo

Logo pela manhã, no halterofilismo até 88kg, Evanio da Silva terminou com a prata. Edson Pinheiro levou bronze nos 100m rasos. Ainda no atletismo, Mateu Evangelista fez uma grande exibição no salto em distância e ganhou a prata.

Halterofilismo: Evânio da Silva levanta 210 kg e faz história

Brasil ainda levou ouro no 4x100 masculino e prata com Odair Santos nos 1500m masculino. Uma surpresa do dia foi o bronze de Bruna Costa no tênis de mesa.