Tamanho do texto

Nadador campeão olímpico disse à polícia que foi assaltado após uma noite de bebedeira na cidade, relatando o ocorrido, inclusive, à imprensa dos EUA

Ryan Lochte pediu desculpas por mentir no Rio de Janeiro
Divulgação/Rio 2016
Ryan Lochte pediu desculpas por mentir no Rio de Janeiro

O nadador americano Ryan Lochte foi suspenso por 10 meses após a mentira contada no Rio de Janeiro durante os Jogos Olímpicos. Lochte disse à polícia que foi assaltado após uma noite de bebedeira na cidade, relatando o ocorrido, inclusive, à imprensa dos Estados Unidos.

FIQUE LIGADO:  Tempo real, medalhas, notícias... Tudo sobre os Jogos Paralímpicos 2016

Após a história ser desmentida, Ryan Lochte foi repreendido pelo Comitê Olímpico dos Estados Unidos e pela imprensa e torcedores americanos, além de perder contratos milionários. Agora, o esportista de 32 anos, que vai cumprir 20 horas de serviço comunitário, foi suspenso até julho de 2017 de competições que representem o time americano. A punição também vai tirar Ryan do Campeonato Nacional de Natação e do Mundial de Budapeste, que acontece no próximo ano.

Os outros três nadadores que participaram do falso assalto, Jimmy Feigen, Jack Conger, Gunnar Bentz, também foram punidos, mas com penas menores: quatro meses de suspensões.

MAIS PARALIMPÍADA:  "Meu corpo está parando": nadadora luta contra doença rara para competir no Rio

Durante as punições, os nadadores não receberão suas bolsas mensais e estão proibidos de frequentar as instalações do Comitê Olímpico Americano.

Relembre a confusão que levou à punição de Ryan Lochte e mais três nadadores 

Durante sua passagem pelo Rio para a disputa dos Jogos Olímpicos, em agosto, Lochte relatou à imprensa norte-americana que havia sido parado numa falsa blitz com seus colegas nadadores quando voltavam para a Vila Olímpica. Segundo sua versão, os supostos policiais eram assaltantes, que teriam até colocado uma arma na cabeça de Lochte.

A história, no entanto, passou a ser desconstruída pela polícia carioca após investigação, e dois dos nadadores envolvidos na confusão confessaram que a história era falsa e havia sido inventada para proteger o relacionamento conjugal de um dos atletas, que teria "ficado" com uma mulher numa festa, naquela noite.

CONFIRA:  Oito acertos e oito erros da Olimpíada

Vídeos de câmera de segurança e dos relatos dos nadadores comprovaram que tudo não passou de uma confusão causada pelos atletas num posto de gasolina na Barra da Tijuca. Eles teriam cometido atos de vandalismo no banheiro do posto, causando prejuízos ao dono, que recorreu a seguranças, que eram policias que faziam trabalho extra no posto.

Posteriormente, em entrevista à TV Globo, Ryan Lochte disse: "Eu não menti, eu exagerei sobre o que aconteceu. Assumo total responsabilidade". Segundo ele, por estar alcoolizado e também em razão da sua imaturidade, exagerou no relato feito à rede de televisão americana NBC, de que teria sido assaltado em um táxi ao retornar à Vila Olímpica.