Tamanho do texto

Doações para compra de ingressos para Paralimpíada foram realizadas através de 'vaquinha' na internet

Analista comercial Ana Júlia é uma das responsáveis pela campanha que vai levar crianças carentes à Paralimpíada
Arquivo pessoal
Analista comercial Ana Júlia é uma das responsáveis pela campanha que vai levar crianças carentes à Paralimpíada

O clima da Paralimpíada 2016 já está tomando conta dos brasileiros. Com início marcado para o próximo dia 07, os Jogos reunirão os maiores paratletas do mundo no Rio de Janeiro, em competições que seguem até o dia 18 de setembro.

MAIS:  Jogos Paralímpicos atingem marca de 1 milhão de ingressos vendidos

Uma brasileira, especificamente, está muito engajada em transformar a Paralimpíada do Rio em um evento mais do que especial para crianças de ONGs cariocas. Em meio a pouco mais de 1 milhão de ingressos vendidos para os Jogos até o momento, a analista comercial Ana Júlia Rodriguez está prestes a arrecadar R$ 20 mil para comprar ingressos e levar crianças de creches e ONGs do Rio para sentir de perto o espírito paralímpico. Atualmente com R$ 19.791 arrecadados oficialmente, Ana Júlia agora só aguarda mais alguns boletos de pagamentos, já emitidos, serem contabilizados, para fazer com que a meta de R$ 20 mil seja, inclusive, ultrapassada. "Fechamos a campanha na quinta-feira (25), porém, diversos boletos ainda estão em 'aguardando pagamento', e isso demora para conciliar",  disse Ana em entrevista ao IG.

A 'vaquinha', criada em 22 de agosto no site vakinha.com.br, nasceu de um conjunto de ideias em comum, que além de Ana, reuniu Graziela Almeida, analista de marketing, Bruno Purri, coordenador de mídia, e Andressa Fonseca, modelo. "Eu havia lido algumas notícias da falta de adesão da Paralimpíada, e que não tinham sido vendidos nem 30% dos ingressos. Fiquei triste com a situação, pois entendo que é importante ter o apoio da torcida", conta a analista.

"Então, eu decidi que ia comprar alguns ingressos com meu dinheiro e doar para quem tivesse interesse. Mas em um grupo do Facebook, percebi que não estava sozinha. Resolvi, naquele momento, criar o crowdfunding e começar a arrecadar dinheiro", completa.

A primeira meta da campanha foi de R$ 5 mil, batida em menos de 24 horas. Dado o sucesso, o objetivo dobrou para R$ 10 mil, superado em 48 horas, e, então, R$ 20 mil, com 99% arrecadados em apenas oito dias.

LEIA TAMBÉM:  Após os Jogos Olímpicos, arenas são adaptadas para a Paralimpíada do Rio

O valor das doações contemplará, além dos ingressos para a Paralimpíada, transporte e lanche para todas as crianças e também voluntários que ajudaram com a campanha. Sete ONGs do Rio serão beneficiadas com a ação solidária: Amparando, Casa Semente, Viva Rio, Movimentarte, Ginastas do Futura, Crianças do Camacho e Reame.