Tamanho do texto

"Foi a minha primeira experiência jogando vôlei sentado, que é muito difícil", afirmou o líbero brasileiro, nascido e criado no bairro de Pirituba

O líbero Serginho, campeão olímpico de vôlei nos Jogos do Rio 2016 no último domingo (21 de agosto), decidiu fazer uma surpresa para atletas que vão disputar os Jogos Paralímpicos. De férias, ele apareceu no centro de treinamento do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) na noite da última quarta-feira e acompanhou a atividade da equipe paralímpica de vôlei masculino, conforme revelou a entidade nesta quinta.

Rio 2016: 11 curiosidades sobre os Jogos Paralímpicos

Empolgado com o momento que vive no vôlei , o melhor jogador da Olimpíada do Rio até entrou na quadra e jogou com os atletas paralímpicos pela primeira vez na carreira.

Serginho jogou vôlei sentado com a seleção brasileira paralímpica
Reprodução/Twitter
Serginho jogou vôlei sentado com a seleção brasileira paralímpica

"Foi a minha primeira experiência jogando voleibol sentado, que é muito difícil. Tenho amigos deficientes que praticam esportes, como o Isaías, que joga basquete, e sei que além de força de vontade é preciso ter coração para colocar o rosto numa bolada", disse o líbero de 40 anos.

Ele também destacou a dificuldade do vôlei paralímpico quando comparado àquele onde atua. "O voleibol tradicional se torna muito fácil quando você vê essa rapaziada jogando sentado", avaliou. "É difícil se adaptar porque você tem que usar muitos recursos. Tem vezes que não dá pra ir com os dois braços, então tem que usar um só. O deslocamento também é complicado, sem contar a defesa quando a bola está vindo. Se em pé já é difícil, imagina sentado. Eu teria que ralar muito para acompanhar o nível dos caras."

Brasil terá quatro atletas titulares e um reserva no hipismo paralímpico

Além da torcida pessoal, Serginho aproveitou o espaço para pedir o apoio dos fãs de vôlei e esporte em geral também nos Jogos Paralímpicos. "Digo para o torcedor brasileiro ir apoiar. São brasileiros iguais à gente, e onde tem atleta do Brasil, a torcida tem que apoiar", finalizou o líbero.

A seleção masculina de vôlei sentado do Brasil é tricampeã parapan-americana. Nos Jogos do Rio de Janeiro, busca o primeiro ouro paralímpico da sua história.

Dona de três ouros paralímpicos, Terezinha Guilhermina já correu até com Bolt

Aposentado

Após levar o ouro nas Olimpíadas do Rio e ganhar o prêmio de melhor jogador da competição, Serginho anunciou a aposentadoria da seleção brasileira masculina de vôlei. Aos 40 anos, o bicampeão olímpico, morador de Pirituba, não irá mais atuar pela equipe nacional, porém seguirá se dedicando à sua equipe, o Sesi-SP. 

*Com informações de Estadão Conteúdo