Tamanho do texto

Pela primeira vez na história, equipe da Grã-Bretanha ficou atrás apenas dos Estados Unidos no quadro de medalhas, com 67 no total, sendo 27 de ouro

Festa e recepção calorosa marcou o desembarque da equipe da Grã-Bretanha em Londres
Reprodução/Twitter/TeamGB
Festa e recepção calorosa marcou o desembarque da equipe da Grã-Bretanha em Londres

A segunda maior potência dos Jogos Olímpicos Rio 2016 voltou pra casa com muita festa. Em um avião com o bico dourado e a palavra "vitoriosos", em inglês, a seleção olímpica da Grã-Bretanha desembarcou em Londres e foi recebida por muitos torcedores depois de quebrar o próprio recorde de medalhas em Olimpíadas no Brasil.

LEIA MAIS:  Outro erro com bandeira chinesa é respondido com 8 milhões de posts raivosos

Os primeiros atletas olímpicos que surgiram no desembarque no Aeroporto de Heathrow na capital inglesa foram Max Whilock e Nicola Adams, donos de três das 27 medalhas de ouro da Grã-Bretanha no Rio de Janeiro. Eles ficaram no alto das escadas, enquanto todo o restante da equipe saia com muita festa , gritos e aplausos. Crianças, amigos, familiares, admiradores, treinadores dos 320 atletas e ainda diversos dirigentes os recepcionaram com bandeiras do país.

MELHORA NO QUADRO

A Grã-Bretanha se tornou o primeiro país que melhorou o número total de medalhas após sediar uma edição dos Jogos Olímpicos, de 65 para 67. Dessas 67, 27 foram douradas, 23 de prata e 17 de bronze. O número rendeu o segundo lugar na classificação geral, deixando para trás tradicionais potências como China e Rússia (à frente apenas os Estados Unidos). Em Londres 2012, por exemplo, o país ficou em terceiro, atrás de EUA e China.

LEIA MAIS:  Hipismo paralímpico e o desempenho do Brasil na história dos Jogos

Bryony Page e Sally Conway bebem champagne na volta para a Grã-Bretanha após conquistas no Rio 2016
Reprodução/Twitter/TeamGB
Bryony Page e Sally Conway bebem champagne na volta para a Grã-Bretanha após conquistas no Rio 2016

"Sinto que foi um ano difícil para o país, muito aconteceu politicamente no país nos últimos meses", disse a remadora Katherine Grainger, que levou para casa uma medalha de prata e subiu ao pódio pela quinta vez consecutiva em Jogos, se referindo à votação que tirou a Grã-Bretanha da União Europeia, em junho, que deixou a nação dividida. 

LEIA MAIS:  Os diferentes ritmos da campeã olímpica Charlotte Dujardin e seu cavalo Valegro

"Eu acho que a coisa boa do esporte é que faz as pessoas se unirem. Então, sim, eu acho que nesse momento, foi um dos melhores Jogos Olímpicos, o melhor evento esportivo que nós provavelmente já tivemos", continuou Grainger.

REPERCUSSÃO

Diversas publicações nas redes sociais mostraram os atletas da equipe britânica em festa durante o voo, com vários deles, inclusive, com taça de champagne - ao todo, foram 77 garrafas disponibilizadas no avião da British Airways - e também ao som do hino nacional.

*Com Estadão Conteúdo