Tamanho do texto

Para as Olimpíadas do Rio, o objeto de desejo dos atletas foi criado num processo minucioso e sensível, pela Casa da Moeda

As medalhas Olímpicas (acima) e Paralímpicas (abaixo) de prata, ouro e bronze (da esq. para a dir.)
Rio 2016/Alex Ferro
As medalhas Olímpicas (acima) e Paralímpicas (abaixo) de prata, ouro e bronze (da esq. para a dir.)

O brasileiro já teve a oportunidade de vibrar com muitos pódios nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Em um dos três degraus, eles receberam o símbolo maior de distinção dos feitos esportivos, a medalha olímpica, seja de ouro, prata ou bronze. Para as Olimpíadas do Rio, o objeto de desejo dos atletas foi criado num processo minucioso e sensível, pela Casa da Moeda, que valoriza a sustentabilidade e a acessibilidade. Ao todo foram produzidas 5.130 medalhas, sendo 2.488 olímpicas e 2.642 paralímpicas.

LEIA MAIS:  Confira como está o quadro de medalhas dos Jogos Rio 2016

Pouco mais de 30% da prata e do bronze utilizados são reciclados, enquanto o ouro utilizado é totalmente isento de mercúrio. As fitas das medalhas foram tecidas, em média, com 50% de fios PET, que também reciclados. Já os materiais dos produtos provenientes de madeira, como estojos, certificados e diplomas, têm a certificação Forest Stewardship Council (FSC). Eles garantem as madeiras são oriundas de áreas de manejo ambiental sustentável e socialmente responsável.

Nas medalhas paralímpicas, a grande novidade é a acessibilidade. A composição metálica, o formato e os relevos são os mesmos da olímpica. Mas há mudança nos desenhos e, além disso, tem um dispositivo interno que emite sons metálicos, o que permite ao atletas com deficiência visual a identificação delas. As medalhas contam com uma espécie de guizo interno com esferas de aço. A de bronze contém 16 esferas, a de prata 20 e a do campeão 28, o que permite a diferenciação sonora entre elas.

LEIA MAIS:  É ouro! Dupla feminina da vela vence regata e conquista a medalha dourada

“Essas medalhas foram concebidas com muita imaginação e coração, com determinação e discussão para sair um belo produto que reflete em cada detalhe o Brasil e os brasileiros. O guizo nas medalhas paralímpicas é inédito e mágico. Gostaria muito de dar a primeira medalha ao primeiro medalhista brasileiro, não importa quem seja”, disse o presidente da Comissão de Coordenação do Rio 2016 e medalhista de ouro nos 400m com barreiras em Los Angeles 1984, Nawal El Moutawakel.

Formato

As medalhas de premiação pesam, aproximadamente, 500g e são abauladas, com o centro ligeiramente mais alto. Elas são as medalhas mais pesadas da história dos Jogos Olímpicos. Nas bordas há uma gravação a laser que permite a identificação da categoria (masculino e feminino) e da disciplina esportiva. A fixação das fitas é feita por pino mola.

LEIA MAIS:  Do pesadelo em Pequim e Londres ao sonho no Rio: a redenção de Diego Hypolito

Os dois lados das medalhas de premiação olímpicas (anverso e reverso) são únicos para todas as medalhas, em todas as modalidades. O anverso tem a imagem padrão da deusa Nike, com projeto artístico do Comitê Rio 2016 e modelagem por artistas da CMB. O reverso traz os louros e a marca dos Jogos Rio 2016.

O símbolo Paralímpico ilustra o anverso da respectiva medalha (ouro, prata e bronze), bem como o nome oficial dos Jogos Paralímpicos e a escrita em Braille. O reverso é composto pela marca dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Veja abaixo como as medalhas são produzidas: