Tamanho do texto

"Comportamento desses atletas não é aceitável, muito menos representa os valores do time americano ou a conduta da vasta maioria de seus membros"

Estadão Conteúdo

O Comitê Olímpico dos Estados Unidos (USOC) emitiu uma nota oficial nesta quinta-feira para se desculpar pelo comportamento dos nadadores que representaram o país na Olimpíada do Rio de Janeiro e que se envolveram em uma polêmica ao relatar um falso assalto ao saírem de uma festa , na madrugada de domingo. O comunicado foi assinado pelo presidente da entidade, Scott Blackmun.

Nadadores americanos deixam a delegacia após prestarem depoimento
PF/Divulgação
Nadadores americanos deixam a delegacia após prestarem depoimento

Na nota, o dirigente diz que o comportamento dos nadadores não representa as condutas e os valores americanos. Blackmun também pediu desculpas aos brasileiros anfitriões por todo o problema causado.

"O comportamento desses atletas não é aceitável, muito menos representa os valores do time americano ou a conduta da vasta maioria de seus membros. Nós iremos avaliar o caso, além de possíveis consequências aos atletas, assim que todos estiverem de volta aos Estados Unidos", afirmou o USOC, em comunicado.

Caso encerrado!  Polícia do Rio confirma que não houve assalto a nadadores

"Em nome do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, pedimos desculpas aos nossos anfitriões no Rio e aos brasileiros pelo problema causado durante o que deveria ser apenas a celebração da excelência", disse a entidade norte-americana.

Os nadadores Gunnar Bentz, Jack Conger, Ryan Lochte e James Feigen foram para uma festa no último domingo na Zona Sul do Rio de Janeiro. Ao saírem do local, teriam entrado em um táxi e parado num posto de gasolina. De acordo com apuração feita pela polícia civil do Rio, os atletas americanos estavam sob efeito de bebida alcoólica e causaram atos de vandalismo, forçando os funcionários do estabelecimento a chamar a polícia.

Porém, para as autoridades, os americanos contaram a história de que foram abordados e assaltados numa falsa blitz policial que teria sido forjada por assaltantes. A história foi desconstruída pela polícia do Rio nesta quinta, depois que dois dos nadadores - Bentz e Conger - confessaram a mentira que teria sido inventada para acobertar o relacionamento conjugal de um deles. O nadador - não foi identificado qual - teria "ficado" com uma jovem em uma festa na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul.

Feigen ainda está no Brasil e disposto a dar declarações sobre o caso. Ryan Lochte, por outro lado, já deixou o País. Para que ele deponha nos Estados Unidos, a Justiça fará uma solicitação ao FBI, que tem colaborado com a condução do incidente.

R$ 35 mil para encerrar inquérito

O nadador norte-americano James Feigen fechou na madrugada desta sexta-feira um acordo na Justiça para se livrar de um eventual processo criminal por falsa comunicação de crime e ter de volta o seu passaporte. Um dos quatro atletas dos Estados Unidos envolvidos em um incidente em um posto de gasolina na Barra da Tijuca inicialmente relatado como assalto e ocorrido no último domingo, Feigen acertou o pagamento de R$ 35 mil de multa.

O dinheiro será doado ao Instituto Reação, ONG voltada para atletas em comunidades carentes, formador da judoca Rafaela Silva, medalhista de ouro no Rio-2016. Feigen também pediu desculpas pelo transtorno. 

Assim como os colegas Gunnar Bentz e Jack Conger, que deixaram o Brasil na noite da quinta-feira, Feigen, em depoimento, responsabilizou o também nadador Ryan Lochte, que já está nos Estados Unidos, pela versão mentirosa em relação à confusão. Ele também disse que foi Lochte que danificou um painel no posto, onde os nadadores tinham parado para urinar - e acabaram urinando fora do banheiro.

O atleta afirmou ainda que o depois da confusão o grupo foi impedido por homens armados de deixar o posto e contou que ofereceu, sem que lhe exigissem, US$ 20 para pagar os prejuízos. Um homem que falava inglês ajudou na negociação. Depois, os quatro voltaram de táxi à Vila dos Atletas. 

Com o acordo, o Ministério Público abrirá mão de processar Feigen, que foi indiciado pela polícia por falsa comunicação de crime. A investigação será arquivada, assim que o dinheiro for depositado. O atleta deixou o Juizado às 3h30 desta sexta sem dar entrevistas.