Tamanho do texto

Julian Brandt disse que torcida nas Olimpíadas é toda contra a Alemanha, por isso o jogo da Copa de 2014 vem à tona neste momento

Julian Brandt relacionou a final olímpica com os 7 a 1
Mário André Monteiro
Julian Brandt relacionou a final olímpica com os 7 a 1

Brasil e Alemanha vão disputar a grande final do futebol masculino dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, sábado, no Maracanã. No último jogo entre as seleções, na Copa do Mundo de 2014, os alemães enfiaram 7 a 1 na semifinal e a tragédia do Mineirão ainda está fresca na mente dos brasileiros e também de jogadores germânicos.

"É inevitável que essa lembrança daquele jogo venha à tona agora. Especialmente para os brasileiros, tanto que a torcida toda aqui no Brasil nessas Olimpíadas é contra a gente, com vaias e tudo mais nos estádios. Mas será um jogo espetacular", disse o meia-atacante Julian Brandt após o triunfo da semi sobre a Nigéria.

O jogador falou também que não teme Neymar, apostando no conjunto alemão. "Neymar é um cara especial, um dos melhores jogadores do mundo. Mas futebol é um jogo coletivo, um jogo de time, não individual. Somos 11 atletas de cada lado e na Alemanha todos atuam pela equipe. Vamos buscar essa medalha de ouro", finalizou Brandt.

Entretanto, outros jogadores preferiram não relacionar o 7 a 1 com a final olímpica. "Esse jogo de sábado não deve ter relação nenhuma com aquele duelo de dois anos atrás. São situações totalmente distintas e não podemos deixar isso afetar nosso pensamento de sair com o ouro", comentou Matthias Ginter, que estava no banco de reservas na semifinal da Copa do Mundo contra o Brasil.

"Não, nem pensamos em 7 a 1. São times e situações diferentes. Estamos jogando um bom futebol e agora temos essa oportunidade de jogar contra o Brasil, que é o melhor time da competição, com excelentes jogadores. Será divertido", avaliou o defensor Niklas Süle.

    Leia tudo sobre: futebol