Tamanho do texto

Brasileira conquistou a primeira medalha dourada para o País nos Jogos Rio 2016 e a primeira na categoria

Rafaela Silva
Divulgação/Brasil2016
Rafaela Silva

O Brasil consegue o primeiro ouro nos Jogos Rio 2016! A carioca Rafaela Silva derrotou a Sumiya Dorjsuren, da Mongólia, com um wazari e é grande campeã olímpica da categoria até 57kg (peso leve). Nesta segunda-feira, ela conquistou cinco vitórias na Arena Carioca 2 e levou os torcedores à loucura. É a primeira medalha do País na categoria e a segunda judoca a subir no lugar mais alto do pódio - a primeira foi Sarah Menezes, em 2012.

Leia mais sobre as competições de judô nos Jogos Olímpicos

Na semifinal, ela precisou de um wasari somente no golden score para vencer um difícil combate contra a romena Corina Caprioriu. Já nas quartas de final, Rafaela bateu a húngara Hedvig Karakas, que foi a sua algoz nos Jogos de 2012, quando a brasileira acabou sendo eliminada por aplicar um golpe ilegal na sua segunda luta em Londres. Agora em 2016, a brasileira venceu por um wasari e se vingou da 9ª colocada do ranking mundial.

"A torcida estava ajudando bastante, sabia que não podia decepcionar essas pessoas. Entrei na competição desacreditada, mas sabia que podia vencer. E a torcida me ajudou a chegar a isso", afirmou.

A judoca lembra que após viver o pior momento de sua vida após os Jogos de Londres, encontrou forças para dar a volta por cima. "Treinei tudo o que podia nesse ciclo e muitas vezes saía dos treinos chorando. Eu queria a medalha", disse, mostrando toda a determinação de uma jovem que teve muitas dificuldades na infância.

Ela cresceu em Cidade de Deus, uma comunidade carente na zona oeste do Rio, e agora mostrou que sua escolha pelo esporte foi acertada. "Uma criança que saiu da comunidade e que, com 5 anos, começou a fazer judô como brincadeira, é hoje campeã olímpica e mundial. Eu só tenho a agradecer a todo mundo. Treinei muito. Se eu puder servir de exemplo para as crianças da comunidade, como eu saí, é o que eu tenho para passar no judô", confessou.

Assista a emoção logo após a conquista de Rafaela



Primeiras lutas

A segunda vitória de Rafaela foi a mais expressiva. Afinal, a brasileira superou a sul-coreana Kim Jan-Di, a segunda colocada no ranking mundial. No início do combate, a asiática levou duas punições contra apenas uma de Rafaela, que assim ficou em vantagem no confronto.

Rafaela Silva teve bom início nos Jogos do Rio
Divulgação/CBJ
Rafaela Silva teve bom início nos Jogos do Rio

Depois, praticamente assegurou o triunfo ao conseguir um wazaari a 1min13 do fim. Com isso, passou a administrar a luta, levou mais dois shidôs, mas não teve a sua vitória ameaçada pela sul-coreana.

Já a primeira luta de Rafaela na Olimpíada durou apenas 46 segundos. A peso leve superou a alemã Myriam Roper por ippon, confirmou o seu excelente desempenho diante da europeia, a quem venceu em todos os dez confrontos anteriores e entrou na Olimpíada pior ranqueada do que a brasileira - 15º lugar, quatro posições atrás dela.

Rafaela Silva, portanto, é a esperança de dar ao Brasil a sua primeira medalha nos Jogos Olímpicos. Até agora, o País coleciona resultados abaixo do esperado, com as eliminações de Sarah Menezes, Felipe Kitadai, Erika Miranda, Charles Chibana e Alex Pombo - Erika até lutou pelo bronze, mas acabou sendo derrotada.

Brasileiro fora

Já entre os homens, o brasileiro Alex Pombo foi derrotado logo em sua luta de estreia na categoria até 73kg e deu adeus à disputa por medalhas. Faltando apenas cinco segundos para o fim do combate, ele levou um yuko do atleta chinês Saiynjirigala e perdeu diante da torcida quando fazia uma boa apresentação.

Pombo não era dos brasileiros mais cotados para subir ao pódio no judô, mas se juntou à lista de decepções deste início de Jogos na modalidade, que ainda não rendeu nenhuma medalha ao País. Somente ele e Charles Chibana (-66kg), no entanto, foram eliminados logo na estreia até agora.

Nesta segunda, Alex Pombo controlava o combate e teve algumas oportunidades para finalizar o combate com um triângulo, e em uma delas o árbitro até chegou a abrir contagem, mas em todas o chinês conseguiu se safar.

Quando parecia que o combate ia para o golden score, Saiyinjirigala encaixou um contragolpe e conseguiu o yuko decisivo. Alex Pombo pareceu não concordar com a decisão do árbitro, mas a decisão já havia sido tomada e a luta estava decidida.

*Com Estadão Conteúdo