Tamanho do texto

"O diferencial é a cabeça, quem está com mais vontade", disse a judoca de 24 anos que conquistou a medalha de bronze nos Jogos de Londres 2012

Mayra Aguiar, 24, é uma das favoritas ao pódio do judô no Rio 2016
Divulgação/Daniel Zappe/MPIX/CBJ
Mayra Aguiar, 24, é uma das favoritas ao pódio do judô no Rio 2016

Medalha de bronze nos Jogos de Londres-2012, a judoca Mayra Aguiar conquistou ótimos resultados no ciclo olímpico e chega à Olimpíada do Rio como uma das favoritas ao pódio. Para transformar o sonho em realidade, a brasileira aposta na concentração. Para ela, o aspecto psicológico será o fator decisivo para a definição dos novos campeões.

LEIA MAIS:  Os judocas do Congo que eram presos em jaulas e hoje sonham com medalha no Rio

"No nível olímpico e mundial, é tudo muito parelho - o nível técnico e o nível físico. O diferencial é a cabeça, quem está com mais vontade, quem está mais bem preparado psicologicamente para uma competição de tamanha grandeza quanto à Olimpíada", analisou Mayra Aguiar .

LEIA MAIS:  Cinco atletas do time olímpico de refugiados chegam ao Rio de Janeiro

A confiança está em alta depois dos últimos resultados. Campeã mundial em 2014, a gaúcha classifica o momento como um dos melhores de sua vida no esporte. "Foi um ciclo muito vitorioso. Venho em um ritmo muito bom, é uma das melhores fases de uma carreira. Sei o quanto é difícil chegar, mas estou confiante em mim".

Nos Jogos do Rio, a equipe feminina de judô é a mesma que representou o Brasil há quatro anos. A atleta acredita que essa vivência de Londres será uma importante base para o desempenho das judocas no Rio. "É uma competição diferenciada. São as mesmas adversárias, mas todo mundo está muito focado. E a gente já ter passado por essa experiência de Olimpíada foi muito importante. Acredito muito que essa seleção vai trazer bastante medalhas".

LEIA MAIS:  Felício diz que representar o Brasil no Rio 2016 é "algo mágico"

Mayra Aguiar também fica orgulhosa com a evolução do judô feminino e faz boas projeções para o futuro. Na preparação em Mangaratiba (RJ), cada judoca olímpico conta com a ajuda de quatro sparrings (judocas de apoio) nos treinamentos. "Entrei na seleção com 14 anos e vou fazer 25 agora, vi o quanto melhorou. Estamos com atletas novas, mas muito experientes já. Quando a base for nos substituir, virá um grupo muito forte".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.