Tamanho do texto

"Os apartamentos estão terminados por fora, mas quando se começar a testá-lo, se encontram problemas com encanamentos e eletricidade, o que seria o final da obra"

Estadão Conteúdo

Vila Olímpica apresenta problemas
JAYSON BRAGA/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 24.07.2016
Vila Olímpica apresenta problemas

Depois da Austrália, nesta segunda-feira foi a vez do Comitê Olímpico da Argentina (COA) fazer duras reclamações contra a infraestrutura da Vila dos Atletas, no Rio. Em coletiva de imprensa em Buenos Aires, o presidente do órgão, Gerardo Werthein, disse que dois andares disponibilizados para o alojamento dos atletas argentinos estão "inabitáveis".

CONFIRA
Prefeita da Vila Olímpica, Janeth diz que vazamentos são o único problema

"A Argentina tem cinco andares na Vila Olímpica e dois deles não estão habitáveis. Os apartamentos estão terminados por fora, mas quando se começar a testá-lo, se encontram problemas com encanamentos e eletricidade, o que seria o final da obra. O Rio diz que vai terminar (as obras), mas não queremos correr nenhum risco", afirmou o dirigente.

De acordo com ele, para não acontecerem contratempos, a Argentina já conseguiu alguns alojamentos nos arredores da Vila Olímpica, na Barra de Tijuca, zona Oeste do Rio. "Estamos contratando apartamentos fora da Vila e vamos mover nosso pessoal técnico e o staff, para privilegiar nossos atletas", explicou.

Ainda segundo Werthein, o Comitê Olímpico, o Ente Nacional de Alto Rendimento (ENARD) e a Secretaria Nacional de Esporte "estão trabalhando em conjunto para encontrar soluções e garantir o êxito dos Jogos".

Por problemas, COB mudou distribuição de apartamentos

O Comitê Olímpico do Brasil (COB), que ocupa um prédio inteiro na Vila dos Atletas, precisou mudar a distribuição prévia que havia feito dos quartos em função de problemas em alguns dos apartamentos. Desde domingo, atletas brasileiros de nove modalidades já estão hospedados no local.

E MAIS
Paes sugere canguru para deixar australianos à vontade na Vila Olímpica

O COB foi uma das delegações que contratou funcionários por conta própria para fazer ajustes no seu alojamento. "Hoje (segunda) está pronto. A gente recebeu parte da delegação ontem (domingo), hoje outra parte, e o que a gente precisava foi atendido. O atleta nem viu (os problemas) porque a gente deu uma mexida: o atleta ia ficar no 15.º andar, colocamos no 12.º, depois mandamos para o 15.º de volta. Todo mundo fez a mesma coisa. Os atletas não estão vendo essa discussão que fica aí na sala do COI com os chefes de missão e a turma da vila", afirmou Marcus Vinícius Freire, diretor-executivo de Esportes do COB, nesta segunda-feira.

O dirigente procurou minimizar os problemas, que levaram a delegação australiana a se negar a entrar na vila no domingo. "O que aconteceu nesses dois dias normalmente acontece quando a gente chega na vila. Eu estou indo para a minha Olimpíada número 12, de Verão é a quinta, e isso normalmente acontece. Um pouco mais forte, um pouco menos, e as reações também dependem de como você administra isso no dia a dia. Acho que os primeiros dois dias, mais pesados, já passaram, e as soluções estão sendo definidas", sustento Freire.

Ele disse também que se encontrou com representantes da Austrália, da Argentina e da Holanda - outros dois países que apontaram problemas em alguns apartamentos. "Todo mundo está dizendo que o pior já passou", disse o diretor do COB.

Filipinos

No fim da manhã desta segunda-feira, um grupo das Filipinas circulou pela área internacional da Vila Olímpica. Eles também apontaram para problemas em seus apartamentos no domingo.

"Meu apartamento estava sem água quente", afirmou Ferdinand Brawner, que é um dos fisioterapeutas da delegação. "Mas hoje já está resolvido." Segundo ele, a equipe de seu país é composta por 29 integrantes, que ocupam todo o 12º andar do edifício 2 da vila.

Vila Olímpica tem 600 novos trabalhadores em 'força tarefa'

Além de delegações de quase 100 países, a Vila Olímpica está recebendo nesta segunda feira o reforço de 600 trabalhadores para corrigir os problemas nos alojamentos dos atletas. Após a delegação australiana se negar a ocupar o seu edifício na Vila dos Atletas, por considerá-lo "inabitável", o Comitê Rio-2016 organizou o que chamou de "força tarefa" para "deixar tudo pronto entre quinta e sexta-feira".

Os 600 funcionários serão divididos em três turnos. As equipes são formadas por encanadores, eletricistas e trabalhadores da área de limpeza. São exatamente os três pontos da queixa apresentada no domingo pela delegação da Austrália.

Desde o início da manhã de domingo, quando foi aberta oficialmente, 96 delegações ocupam a Vila dos Atletas. Até o fim desta segunda-feira, o número deverá saltar para 115. No total, 1.600 pessoas deverão dormir no local nesta noite, sendo 400 atletas.