Tamanho do texto

Com o resultado na Colômbia, velocista já aparece em 38º lugar no ranking mundial, como segunda melhor da América do Sul

A velocista Ana Cláudia Lemos
CBAt
A velocista Ana Cláudia Lemos


Uma semana após o fim de sua suspensão por doping, Ana Cláudia Lemos voltou às pistas no domingo. Em Medellín, na Colômbia, ela venceu um evento local nos 100m com o bom tempo de 11s14. A marca é a melhor do País em 2016, expressivamente à frente dos 11s23 que Rosângela Santos fez no evento-teste dos Jogos Olímpicos do Rio.

Com o resultado na Colômbia, Ana Cláudia já aparece em 38.º lugar no ranking mundial, como segunda melhor da América do Sul, ficando atrás apenas de Angela Tenório, recordista continental, que já correu a prova em 11s13 este ano.

Ana Cláudia está convocada para correr os 100m nos Jogos Olímpicos do Rio, ainda que a prova deste domingo, sua primeira no ano, tenha ocorrido depois do fim do prazo de obtenção de índices para a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), que começou em maio do ano passado.

Isso porque apenas três brasileiras - Ana Cláudia, Rosângela e Franciela Krasucki - fizeram índice na prova, toda. Nos 200m, foram quatro velocistas com índice, e aí valeram, para a definição das três que irão ao Rio, o resultado do Troféu Brasil e o ranking nacional. Como Ana Cláudia não correu este ano, ficou fora.

A suspensão de cinco meses, imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Atletismo, porém, ainda pode ser contestada pelo Painel da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF). Se isso acontecer e o caso não for julgado a tempo pela Corte Arbitral do Esporte (CAS), Ana Cláudia deve ficar fora da Olimpíada.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.