Tamanho do texto

Grupo que trabalhou nesta quinta é praticamente o mesmo que conquistou o Sul-Americano na Venezuela na semana passada

Com 16 das 18 atletas pré-convocadas pelo técnico Antonio Carlos Barbosa, a seleção brasileira feminina de basquete iniciou nesta quinta-feira os treinamentos visando os Jogos Olímpicos do Rio. As jogadoras se apresentaram em Campinas, onde treinaram e seguirão se preparando até o fim de julho.

A ala-pivô Damiris Amaral iniciou a preparação para os Jogos Rio 2016
Gaspar Nóbrega / Inovafoto
A ala-pivô Damiris Amaral iniciou a preparação para os Jogos Rio 2016

O grupo que trabalhou nesta quinta é praticamente o mesmo que conquistou o Sul-Americano na Venezuela na semana passada, com algumas adições, como Babi, Adrianinha e Isabela Ramona. A principal novidade, no entanto, é Damiris. A ala/pivô estava em pré-temporada da WNBA com o Atlanta Dream, mas graças a problemas pessoais optou por não disputar a liga norte-americana este ano. Por isso, ficou livre para se apresentar à seleção nacional nesta quinta.

Leia

Antes de viajar ao Rio, Justin Gatlin nega preocupação com vírus zika

Ciclista norte-americano desiste da Olimpíada por risco de zika

“Tive que tomar essa difícil decisão de não ir para a WNBA por conta de problemas que tive na família. Com isso, pude me apresentar neste momento e iniciar a preparação para a Olimpíada junto com o grupo. Sempre que tenho mais tempo com a equipe, me sinto mais preparada para jogar", declarou.

A jogadora garantiu estar preparada para a longa preparação do Brasil e celebrou o calendário da seleção até a estreia na Olimpíada. Antes de iniciar a disputa no Rio, a equipe fará um amistoso contra a França, disputará um torneio em Campinas e ainda um outro amistoso, com adversário a ser definido, em Mogi das Cruzes.

"Já recebi a programação e estou bastante animada com os amistosos. Vamos ter uma preparação muito boa para chegarmos voando nos Jogos do Rio. Acredito muito que esse grupo que está iniciando a preparação hoje possa surpreender na Olimpíada. Eu amo vir para a seleção brasileira, me sinto muito bem revendo as meninas e a comissão técnica. Sempre dá o frio na barriga como se fosse a primeira convocação", comentou.

Se Damiris optou por não disputar a temporada da WNBA, a seleção brasileira espera duas de suas principais atletas, que estão justamente na liga norte-americana. Clarissa e Érika, ambas do Chicago Sky, vão se apresentar a Barbosa com um mês e meio de atraso, já que farão sua última partida nos Estados Unidos no dia 15 de julho.