Tamanho do texto

"Eu apenas tenho que ir lá e fazer o que é preciso", disse o velocista, que é, ao lado de Usain Bolt, favorito à medalha de ouro nos 100m

Justin Gatlin demonstrou tranquilidade sobre o assunto 'zika vírus'
Arquivo iG
Justin Gatlin demonstrou tranquilidade sobre o assunto 'zika vírus'

Na contramão de astros, como o jogador de basquete Pau Gasol, o velocista norte-americano Justin Gatlin negou qualquer preocupação com o vírus zika, nesta quinta-feira. O corredor, um dos favoritos à medalha de ouro nos 100 metros na Olimpíada, desembarcará no Brasil neste fim de semana para participar de um evento na capital fluminense.

Leia

Ciclista norte-americano desiste da Olimpíada por risco de zika

Apesar de ameaça de não vir ao Rio-2016, Pau Gasol é convocado pela Espanha

"Neste momento, não estou tomando nenhuma precaução. É uma doença tão misteriosa. Muitas pessoas não entendem. Eu apenas tenho que ir lá e fazer o que é preciso. Se você se concentra em coisas que estão fora do seu poder... Aí você ficará distraído", declarou Gatlin após vencer os 100 metros na etapa de Roma da Diamond League.

No Rio, Gatlin vai disputar o Desafio Mano a Mano em pista montada sobre o mar na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro. O evento promocional, que também terá brasileiros e o trinitino Richard Thompson, será realizado neste domingo.

O americano encara a disputa como um aquecimento para a Olimpíada, quando poderá fazer um embate histórico contra os jamaicanos Usain Bolt e Johan Blake e contra o compatriota Tyson Gay. "Nunca tivemos a chance de fazer um Final Four ou disputar um Super Bowl. Este será o nosso campeonato", afirmou, já admitindo certa ansiedade para os Jogos Olímpicos.

Campeão olímpico em Atenas-2004, Gatlin vem exibindo fortes resultados nas últimas duas temporadas. Em Roma, esteve longe do seu melhor tempo, mas, ao marcar 9s93, registrou uma das melhores marcas da temporada.