Tamanho do texto

Luiz Campos conta processo de recuperação e estratégias usadas pelo surfista Ítalo Ferreira na volta às competições do circuito mundial

Em 2015, Ítalo Ferreira ganhou o prêmio de
WSL/ Ed Sloane
Em 2015, Ítalo Ferreira ganhou o prêmio de "Rookie of the Year" do mundial de surfe

Depois de conquistar o quinto lugar na etapa de abertura do mundial de surfe, Ítalo Ferreira sofreu uma contusão no tornozelo direito durante um treino em Duranbah Beach, na Austrália. Para a recuperação, o potiguar de 23 anos de idade ficou de fora as outras três etapas seguintes no circuito, duas ainda na Oceania e uma no Brasil.

LEIA TAMBÉM: Saiba tudo sobre o surfe e estilo de vida do esporte

A previsão era de que o atleta, que venceu o prêmio de melhor novato do surfe em 2015, voltasse às competições em julho, em Jeffreys Bay, na África do Sul. No entanto, Ítalo Ferreira voltou uma etapa antes e já em Fiji, eliminou Gabriel Medina, atual defensor do título.

Visão do manager

Ítalo Ferreira e Luiz Campos, o Pinga
WSL/ Ed Sloane
Ítalo Ferreira e Luiz Campos, o Pinga

Ao chegar no Brasil, Luiz Campos, o empresário de Ítalo conta que o surfista se consultou com três médicos e então, iniciou um processo de fisioterapia que aconteceu todos os dias, com exceção aos finais de semana. Além disso, o potiguar tinha voltado a surfar apenas seis dias antes de embarcar para Fiji. "Ele foi muito forte na recuperação, seu corpo curou muito rápido. Ele trabalhou muito para isso", disse em entrevista à " WSL ".

Questionado se estava nervoso ao acompanhar o retorno do pupilo, Pinga, como é mais conhecido, afirma que clinicamente Ítalo Ferreira está pronto. "Ele é muito confiante, ele entende o que é importante, as táticas e abordagens nos campeonatos", contou.

Quanto à bateria contra Gabriel Medina, o manager explica que Ítalo utilizou as mesmas táticas em todas as baterias do Outerknown Fiji Pro, no entanto, observou o que o adversário estava fazendo. "É uma competição mental. Todos os atletas do circuito mundial de surfe tem talento, mas você tem que prestar atenção e pensar", finalizou Pinga.

LEIA TAMBÉM: Ítalo Ferreira arranca primeira nota 10 do ano pelo circuito mundial de surfe

Competição em Fiji

O Outerknown Fiji Pro está paralisado por mais de três dias, e embora a primeira bateria do quarto round já esteja definida, ainda há oito baterias do terceiro round em pendência. Dentre os que ainda vão entrar na água para garantir uma vaga na próxima fase, dois deles são brasileiros. Wigolly Dantas e Adriano de Souza aparecem no 11º e 12º duelo, respectivamente e vão precisar desbancar o surfe de Sebastian Zietz e Stuart Kennedy.

O novato no tour Ian Gouveia já garantiu sua vaga na quarta fase depois de vencer o australiano Owen Wright por 15.66 a 15.26. Outro surfista canarinho que também continua na competição é Ítalo Ferreira. Depois de ter sofrido uma lesão no tornozelo logo após a etapa de abertura, o potiguar ficou de fora as demais outras três etapas do circuito. Em duelo brasileiro , Ítalo venceu Gabriel Medina por 15.83 a 15.47.

Baterias pendentes do terceiro round:

5ª Mick Fanning (AUS) x Michel Bourez (PLF)
6ª John John Florence (HAV) x Leonardo Fioravanti (ITA)
7ª Jordy Smith (AFR) x Joan Duru (FRA)
8ª Kelly Slater (EUA) x Conner O'Leary (AUS)
9ª Joel Parkinson (AUS) x Jeremy Flores (FRA)
10ª Kolohe Andino (EUA) x Bede Durbidge (AUS)
11ª Sebastian Zietz (HAV) x Wiggolly Dantas (BRA)
12ª Adriano de Souza (BRA) x Stuart Kennedy (AUS)

Quarto round (duelos definidos):

1ª Ian Gouveia (BRA) x Matt Wilkinson (AUS) x Julian Wilson (AUS)
2ª Italo Ferreira (BRA) x aguarda adversários

LEIA TAMBÉM: Surfista escocês é resgatado após 32 horas desaparecido em alto mar

Tendo Gabriel Medina como o grande defensor do título, o Outerknown Fiji Pro , quinta etapa do circuito, tem janela até o dia 16 deste mês. Depois de Fiji , a elite do surfe vai em direção à África do Sul, em Jeffreys Bay.

    Leia tudo sobre: surfe