Tamanho do texto

Apelidada de "fleur do Caribe", Martinica recebeu o 16º evento do Qualifying Series 2017; Ricardo Christie anota três mil pontos para o ranking

Ricardo Christie
WSL / Poullenot/Aquashot
Ricardo Christie

Ricardo Christie é o campeão da etapa caribenha da divisão de acesso à elite do surfe e já pode anotar 3 mil pontos para o ranking do Qualifying Series de 2017. Depois de dois dias de paralização devido às inconsistências do mar, o campeonato em Martinica voltou com tudo nesta última quinta-feira (6) e o neozelandês conquistou sua vaga na semi depois de vencer o brasileiro Rafael Teixeira.

LEIA TAMBÉM: Saiba tudo sobre o surfe e estilo de vida do esporte

Aos 28 anos, Ricardo Christie entrou no mar na segunda bateria do dia desta sexta-feira (7), em Basse-Pointe, ao norte da ilha. O local da Nova Zelândia apresentou bom surfe e fechou com 17.23 (8.50 + 8.73), barrando o australiano Soli Bailey nas semis com 16.17 (9 + 7.17). Antes disso, o brasileiro Bino Lopes estreeou as baterias das semis e garantiu sua vaga para a decisão do campeonato ao desbancar o Noe Mar McGonagle por 14.77 (7.17 + 7.60) a 11.27 (5.50 + 5.77) do costa-riquenho.

LEIA TAMBÉM: Três jovens promessas do surfe brasileiro para ficar de olho em 2017

Decisão

Na final, Ricardo pegou a primeira onda da bateria e recebeu um 0.50. Bino Lopes teve mais sorte e logo de cara recebeu um 8.50, que logo em seguida somou com uma fraca onda com pontuação de 0.90. O neozelandês não se encontrou e arrancou mais um 0.27 dos juízes.

A decisão começou a ficar mais emocionante perto do fim do relógio. Depois de três ondas fracas, com excessão da primeira de Bino, Ricardo Christie anotou um 8.83 e o surfista baiano já trocou a segunda onda por um 6.83. Em sua quarta onda, recebeu três pontos e em seguida trocou por um 7.07, mas o adversário da Oceania veio forte e recebeu um 7.83.

LEIA TAMBÉM: Hizunomê Bettero vence QS 1500 em Huntington Beach

A final acabou com a pontuação total de 16.66 de Ricardo Christie contra 15.57 de Bino Lopes. O neozelandês levantou o troféu em Martinica, uma das quatro ilhas caribenhas que fazem parte da França.

"É lógico que eu queria ganhar, mas o Ricardo (Christie) é um ótimo surfista e mereceu a vitória", reconheceu Bino Lopes. "Em uma bateria como essa, você não pode cometer erros e eu fiz um, então foi um resultado justo. Estou feliz porque melhorei o meu último resultado aqui e quero continuar seguindo passo a passo o caminho para o meu objetivo final. E já estou pronto para o próximo desafio".

Bino Lopes foi campeão brasileiro de surfe em 2015
WSL/ Poullenot/ Aquashot
Bino Lopes foi campeão brasileiro de surfe em 2015

Vale lembrar que no ano passado, Bino Lopes bateu na trave e quase entrou para o CT. Com 18 mil pontos, o brasileiro ficou na 11ª colocação do ranking do QS e por pouco não participa da elite do esporte em 2017. Local da Praia do Forte, na Bahia, Bino foi campeão brasileiro de surfe em 2015.

    Leia tudo sobre: surfe